Farsa eleitoral na Argentina

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

O funcionário dos monopólios internacionais Mauricio Macri alçou-se à condição de novo gerente da Argentina em farsa eleitoral levada a cabo naquele país no dia 22 de novembro (segundo turno).

Vejam aqui mais um exemplo de como se dá a farsa eleitoral nos marcos da velha democracia: o cenário político-eleitoreiro levou à “polarização” entre Macri, peronista renegado, e Daniel Scioli, peronista; “opôs” o liberalismo econômico mais assumidamente vende-pátria ao oportunismo de retórica — e apenas retórica — “anti-imperialista”, mostrando mais uma vez que nada de bom para o povo pode sair do cretinismo sufragista semicolonial.

Como sempre acontece quando o candidato mais claramente, ou mais assumidamente, afinado com a agenda do imperialismo vence uma eleição da América Latina, as forças mais reacionárias do continente exultam. Assim, com a vitória de Macri na Argentina, já era esperada a redação de todos os órgãos do monopólio da imprensa no Brasil, que estão sempre prontos para reforçar o mito do “bolivarianismo” — porque só com muita confusão e mistificação é possível dar sobrevida às farsas eleitorais.

Na Argentina, o jornal La Nación, destacado órgão da grande burguesia local, comemorou a vitória de Macri contra o candidato de Cristina Kirchner publicando um editorial afobado no qual fez a apologia de Estado, agora livre da suposta “esquerda”, parar os processos contra os gorilas do gerenciamento militar naquele país (1966 a 1973).

Corajosamente, os próprios trabalhadores do jornal, gráficos e jornalistas, repudiaram publicamente e coletivamente o editorial, dizendo que a posição do jornal não refletia a posição da redação. Quem sabe não veremos em breve os mesmos trabalhadores repudiando toda a linha editorial antipovo e vende-pátria do La Nación.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro