Notas de protesto pelo Brasil

A- A A+

2016 começa com revolta popular!

Como afirmamos na última edição de AND, “A crise que se agudiza dia após dia (com cortes de direitos, salários e pacotes de medidas antipovo) e a disposição de luta com que a nossa brava juventude combatente nos brinda nos dias finais de 2015, tudo isso nos aponta que 2016 será um ano de grandes batalhas!”. Este início de ano mostrou que estávamos certos em nossa conclusão. Mal começou 2016 e a Juventude Combatente foi às ruas de diversas capitais contra o absurdo aumento das passagens do transporte público. No Rio e em São Paulo, os jovens não se intimidaram e enfrentaram a repressão policial. Nos rincões do Brasil, prosseguem os protestos da população contra os cortes de direitos, a falta de pagamento dos salários, a falta de luz, de água etc. Diante de tantos ataques aos direitos dos operários, camponeses, estudantes e trabalhadores em geral, sem dúvida, tudo leva a crer que será um ano de protestos!


MG e ES: população contra o aumento das passagens


Em Vila Velha (ES), população colocou fogo na rua em protesto contra aumento abusivo

No início da manhã de 4/1, moradores de Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG), protestaram contra o aumento das passagens de ônibus fechando o terminal. Um vídeo de Isabel Souza divulgado na internet mostra uma manifestante afirmando que todos os presentes no protesto estavam “em reivindicação por melhoria nos ônibus” e que o preço da passagem “é um absurdo para a população de Ibirité!”.

Uma semana depois, no início da manhã de 11 de janeiro, moradores bloquearam a Rua Guaraná, no bairro Grande Cobilândia, no município de Vila Velha, no Espírito Santo, em protesto contra o aumento da passagem (que subiu para R$ 2,70) e a redução da frota na região.

Segundo os moradores, a frota de coletivos foi reduzido em 10% e mais de 50 mil pessoas são prejudicadas por tal medida. Durante a manifestação, uma enorme barricada de pneus em chamas foi erguida pela população.


AM: trabalhadores atacados pela PM

Pelo menos duas pessoas foram presas durante uma manifestação realizada na manhã de 11 de janeiro na ponte Rio Negro, na Zona Oeste de Manaus, Amazonas. Funcionários de um estaleiro protestaram para cobrar os seus salários atrasados.

Eles bloquearam um dos acessos da ponte exigindo o que é seu por direito. A Polícia Militar foi enviada ao local e atacou os trabalhadores com bombas de efeito moral e balas de borracha. Algumas pessoas, incluindo familiares dos trabalhadores que estavam no local, ficaram feridas com o ataque covarde da repressão.


RJ: revolta operária

Em 8 de janeiro, operários da construção do Centro Olímpico de Tênis do Rio realizaram um protesto contra a falta de pagamento pelos serviços prestados. A manifestação foi realizada em frente ao Parque Olímpico, na Zona Oeste do Rio, onde os trabalhadores ocuparam uma faixa da Avenida Abelardo Bueno, sentido Avenida Ayrton Senna.

O grupo de operários que realizou o protesto alega que foi demitido no último mês de dezembro, mas o Consórcio CITD —  que tem como responsáveis as empresas Ibeg, Tangram e Damiani — não pagou o último salário, nem a rescisão de contrato e o prêmio por assiduidade. Um dia antes, 7/1, eles já haviam realizado uma manifestação no mesmo local. Nesta mesma data, um incêndio atingiu um contêiner dentro do Parque Olímpico.


PE: por moradia

A manhã de 14 de janeiro foi marcada por protestos de moradores de comunidades, que bloquearam a Agamenon Magalhães, uma das mais importantes da capital de Pernambuco, Recife. O protesto reivindicava moradia e os manifestantes queimaram pneus na via. Segundo o jornal Diário de Pernambuco, “A presidente de um dos movimentos alega que, quando os representantes dos manifestantes chegaram no piso em que se encontra a superintendência da CEF, policiais militares os receberam com spray de pimenta. O restante dos manifestantes não conseguiu sequer passar pela recepção do edifício, quando também foram recebidos com spray de pimenta e tiros de bala de borracha. Uma manifestante já estava detida por PMs quando foi agredida e recebeu spray de pimenta”.


RN: protesto na BR-304

No último dia 8 de janeiro, moradores do município de Riachuelo, localizado a 71 quilômetros de Natal, Rio Grande do Norte, bloquearam a BR-304 durante um protesto contra a falta d’água na região, problema que vem ocorrendo desde outubro do ano passado.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja