Notas da América Latina

Colômbia: greve geral contra políticas antipovo de Santos

Cerca de quatro milhões de pessoas saíram às ruas por toda a Colômbia no último 17 de março no âmbito da greve geral convocada para aquele dia, contra as políticas antipovo do “presidente” Juan Manuel Santos, um autêntico agente do imperialismo ianque alçado ao posto de gerente dos interesses dos monopólios internacionais naquele país, transformado, à revelia da vontade do povo (como mostra seus 73% de desaprovação), em um autêntico enclave do USA na América do Sul.

http://www.anovademocracia.com.br/167/19a.jpg
Trabalhadores nas ruas contra medidas antipovo

À revelia do povo, sim, pois não por acaso a desaprovação de Santos é proporcional ao nível de desnacionalização da economia colombiana: hoje, cerca de 80% do aparato produtivo da Colômbia se encontra nas mãos de companhias capitalistas transnacionais.

As massas populares despejaram nas ruas sua justa revolta contra as políticas dos lacaios do USA, desde há muito encastelados nas altas instâncias do velho Estado colombiano, e que as infelicitam cada vez mais, a cada novo capítulo do arrocho ao povo e do entreguismo escancarado, como o ajuste do salário mínimo abaixo da inflação, a privatização, em janeiro, da companhia de energia estatal Isagen (responsável por 30% do abastecimento de energia da Colômbia), o escândalo de corrupção, com contratos superfaturados, na refinaria de Cartagena, o aumento de impostos que incidem sobre a população e a carestia. Recentemente, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef, em inglês) publicou um relatório mostrando que na Colômbia uma em cada dez crianças padece na desnutrição crônica.

Poucos dias antes da greve geral, o ministro colombiano da Fazenda, Maurício Cárdenas, enviou ao presidente do Congresso do país uma lista com as empresas públicas que o gerenciamento Juan Manuel Santos pretende privatizar ao longo do ano de 2016. São mais de 30 companhias estatais que Santos e Cárdenas pretendem levar a pregão, entre elas, muitas de natureza estratégica para os interesses da população, como bancos agrários e de desenvolvimento, empresas de energia e de telecomunicações.

Além disso, também consta no inventário do patrimônio público da Colômbia levado por Juan Manuel Santos a brechó a companhia estatal de petróleo Ecopetrol, da qual o Estado colombiano pretende “vender a maioria acionária”, com a desculpa de sempre em se tratando de países de matiz semicolonial gravemente impactados pela crise geral do capitalismo: sanar o déficit fiscal.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza