Lutas de libertação nacional

Mali: novos ataques contra forças da ONU

Com informações de Anadolu Agency

Mais dois ataques contra as forças militares da ONU foram registrados no Mali, no fim de maio e começo do mês de junho.

http://www.anovademocracia.com.br/171/23a.jpg
Região atacada em fevereiro com seis mortos

O ataque no início do mês atingiu, em maioria, soldados e agentes chineses envolvidos na ocupação e subjugação do país; foi reivindicado por jihadistas.

Já o ataque que o precedeu, no final de maio, foi realizado por homens armados não identificados. A emboscada ocorreu perto da cidade de Sevare e terminou com o saldo de cinco soldados das forças da ONU (togoneses) aniquilados e um gravemente ferido. O ataque ocorreu um dia após a comemoração do “Dia Internacional dos Soldados da Paz das Nações Unidas”. Este ataque não foi reivindicado por nenhuma organização até o fechamento desta edição.

Vendo as derrotas sofridas consecutivas e generalizadamente desde o início do ano, a ONU já anunciou que pretende alocar 2.500 novos soldados no Mali.

Já o imperialismo francês e a ONU seguem perpetuando o genocídio. Durante manifestação contra a ocupação e as ações militares francesas no país, quatro pessoas foram assassinadas e sete ficaram feridas na cidade de Kidal, no norte do Mali.

Conforme já colocamos na edição nº 170 de AND, o Mali se defronta com agressão imperialista desde 2013, com a invasão e ocupação militar de seu território, com a potência França à frente das operações. Sob a máxima de “guerra ao terrorismo” e ao “narcotráfico”, o que todas as potências e superpotências imperialistas querem realmente é preparar a nova repartilha das nações oprimidas entre eles. Para isso, invadem, destroem, chantageiam e roubam as riquezas dos países oprimidos da África, Ásia e América Latina.


O grande fracasso do imperialismo ianque no Afeganistão

Jaílson de Souza

http://www.anovademocracia.com.br/171/23b.jpg

Invadido pelas tropas do USA em 2001, o Afeganistão, nestes 15 anos que se sucederam, se tornou um imenso campo minado e se converteu de um paraíso a ser saqueado em um verdadeiro inferno para o USA. E essa verdade é reconhecida até mesmo dentro das fileiras genocidas do imperialismo ianque, evidente na publicação de um artigo pelo tenente-coronel aposentado Daniel Davis para a revista Time, cujo título afirma: O USA fracassou espetacularmente no Afeganistão.

É verdade que o USA fracassou naquele país. Começando pelo fato de que todos os planos do imperialismo para estabilizar o país ocupado, como usar da farsa eleitoral para criar um governo títere e disfarçar a dominação logo em 2001, ou a criação de um “governo de unidade” em 2014 que continua balançando até os dias atuais, não deram o resultado esperado.

Não obstante da resistência que já falamos tantas vezes nas páginas de AND, o velho Estado títere do imperialismo (principalmente ianque) no Afeganistão sofre também de seu apodrecimento interno, das pugnas entre frações das classes dominantes e afins. O próprio tenente-coronel ianque citado concluiu, no referido artigo, que “os níveis muito altos de corrupção atinge de maneira destrutiva a capacidade de governar”. Ademais, o país se encontra dividido, com vazios de poder imensos ocupados por verdadeiros feudos de senhores da guerra, que só se fortalecem com a agressão ianque.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro