RO: 21 anos da Heroica Batalha de Santa Elina

A- A A+
Pin It

No dia 9 de agosto, a LCP de Rondônia e Amazônia Ocidental realizou ato político em celebração dos 21 anos da Heroica Resistência de Santa Elina, ocorrida no município de Corumbiara (RO). Batalha camponesa que, com sangue e heroísmo, tornou-se um marco na luta pela terra em nosso país, como frisado na última edição de AND.

http://anovademocracia.com.br/175/08a.jpg
Tomada do latifúndio Santa Elina em 1995

Nesse dia, os camponeses celebraram nas terras retomadas da Fazenda Santa Elina as vitórias da luta e a memória de seus heróis tombados na resistência. São 21 anos de árdua luta combativa, sacrifícios e sofrimentos, organização, resistência, produção e persistência.

A celebração contou com mais de 80 pessoas, inclusive de outros municípios como Jaru e Theobroma, com a participação de camponeses de diferentes áreas revolucionárias como Jhone Santos de Oliveira, Raio do Sol, Zé Bentão, Monte Verde, Renato Nathan 1 e 2, além de pequenos comerciantes e apoiadores da luta camponesa.

O ato político prestou honras às mulheres e homens (e até crianças), que resistiram bravamente ao ataque das hordas policiais com as armas que dispunham: espingardas de caça, foices, paus e pedras, vertendo o seu precioso sangue na luta pela terra. Os camponeses tomaram a palavra, reafirmando a importância de se persistir no combate ao latifúndio, de que tudo na vida do povo é conquistado com organização, com uma linha correta e muita luta. Além disso, também se ressaltou a necessidade de retomar a mobilização pela indenização das famílias e o trabalho do Comitê de Defesa das Vítimas de Santa Elina (Codevise).

http://anovademocracia.com.br/175/08b.jpg
Retomada da Santa Elina em 2010

Num segundo momento, foi realizada uma vigorosa manifestação pelas ruas do centro de Corumbiara, onde os camponeses empunharam as bandeiras vermelhas, entoaram palavras de ordem e estenderam faixas como ‘Viva os 21 anos da Batalha de Santa Elina!’, ‘Todo Apoio ao Acampamento Enilson Ribeiro dos Santos!’, ‘Viva a Aliança Operário-Camponesa!’ e ‘Despertar a Fúria Revolucionária da Mulher’. Ao final da manifestação foram chamados os nomes dos heróis do povo, sendo respondidos em uníssono: ‘Presente na Luta!’.

O marco dos 21 anos da Heroica Resistência de Corumbiara tem um significado profundo para os camponeses de Rondônia e de todo o país, para os revolucionários e democratas. Além de ser um divisor de águas no movimento camponês, mãe de novas batalhas e parteira da retomada do caminho revolucionário do movimento camponês combativo, a Resistência Camponesa de Santa Elina é o exemplo vivo e radiante de que o movimento camponês e o problema camponês estão no centro do problema democrático e nacional. Que nosso país é essencialmente agrário e a derrubada do latifúndio, montanha secular de opressão do nosso povo, é premissa para o triunfo da Revolução de Nova Democracia, ininterrupta ao socialismo. Durante todos esses anos os camponeses que participaram da batalha de Santa Elina, seus remanescentes e continuadores seguiram lutando sob a bandeira do Codevise e da Liga dos Camponeses Pobres. Ocuparam a primeira linha de enfrentamento das políticas genocidas do velho Estado burguês-latifundiário, suas forças policiais, os bandos de pistoleiros a soldo do latifúndio, as maquinações e manobras do oportunismo eleitoreiro que muitas vezes tentou desviar os camponeses do caminho da luta e dividir as famílias. A Resistência de Santa Elina, ano após ano, ergueu-se resplandescente e persistiu. Organizados, os camponeses retomaram partes das terras da Fazenda Santa Elina, cortaram as terras, produzem na atual Área Zé Bentão.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

São mais de duas décadas de resistência. Os ataques covardes e criminosos do latifúndio e forças de repressão não intimidaram a massa camponesa, que não interrompeu as tomadas de terras e crescentemente aumenta o seu grau de mobilização, organização e politização. Hoje, cada vez mais camponeses se conscientizam de que o único caminho possível para conquistarem um pedaço de terra é o caminho da Revolução Agrária, da destruição e tomada de todas as terras do latifúndio, entregando a terra para quem nela vive e trabalha.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja