Editorial - Persistir na vitoriosa campanha pelo boicote

O resultado da apuração de mais uma farsa eleitoral mostrou, como já era esperado, a falência deste apodrecido sistema político brasileiro. Ademais da quantidade imensa de brasileiros que viraram as costas às urnas, negando-se a comparecer aos postos eleitorais ou indo justificar em outra cidade, tivemos uma verdadeira maré de votos brancos e nulos.

O somatório destas manifestações é mais que suficiente para demonstrar o quanto o nosso povo está enojado deste podre sistema político comandado pelas classes dominantes e referendado por oportunistas, pelegos e renegados e clama por uma transformação radical do sistema político.

Mais uma vez, os monopólios de comunicação comandados pela rede globo fizeram de tudo para arrastar as massas para o pântano da farsa eleitoral, inserindo em sua programação, inclusive nas novelas, a chantagem de que o eleitor é o responsável pela existência dessa escumalha que compõe a política oficial corrupta.

Novamente, também, o artifício da divulgação das pesquisas eleitorais foi usado para induzir o eleitorado a aceitar o fato consumado antes de manifestada a vontade dos mesmos nas urnas.

Não bastassem estas maquinações conjugadas com as maquiagens “jurídicas” de “ficha limpa” e proibição de financiamento empresarial dos candidatos, todo o processo eleitoral ocorreu, como já denunciamos, na mais completa frieza e desprezo pela população, porém, sob clima de opressão e repressão diretas promovidas pelo latifúndio, pelos agentes do velho Estado encastelados nos serviços públicos, por traficantes, “milicianos” e exploradores da fé do povo.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia


Contrapondo-se a toda esta onda opressora, a campanha conduzida por vários movimentos populares contra a farsa eleitoral foi de grande importância para avançar a consciência política de grande parcela do povo sobre a necessidade de repudiar o sistema de opressão por meio do boicote às eleições.

Digno de nota foi o fiasco dos partidos eleitoreiros da falsa “esquerda” oportunista até a medula, que insiste em coonestar este fraudulento processo contrarrevolucionário com suas migalhas de voto, concorrendo por legitimar como democrático este sistema latifundiário-burocrático em decomposição.

Em todo o Brasil, as panfletagens receberam o apoio da população, confirmando o que o AND já havia anunciado sobre o estado de espírito das massas. As brigadas do AND das duas últimas edições com chamada de capa divulgando o boicote tiveram também formidável acolhida pelos leitores, expressa no aumento das vendas e na aproximação de novos apoiadores.

Com a realização do segundo turno da farsa eleitoral, na maioria das grandes cidades, que acontecerá no final do mês de outubro, é de fundamental importância que os comitês pelo boicote da farsa eleitoral não sejam desmobilizados, pelo contrário, eles deverão se apoiar no espetacular sucesso do primeiro turno para ampliar mais ainda a agitação sobre o caráter destas eleições.

Mais que tudo, além de repudiar este sistema político promotor da extração dos recursos do povo e da Nação para o latifúndio, a grande burguesia e o imperialismo, principalmente ianque, a campanha deve ser conjugada com a defesa da Revolução Democrática. Agitar e propagandear a Revolução Democrática como a única via possível para varrer por completo todo este sistema apodrecido e transformar profundamente a vida da imensa maioria dos brasileiros e brasileiras, barrando o pisoteio dos direitos do povo e a exploração, a rapina da Nação e sua subjugação promovidos pelo velho Estado de grandes burgueses e latifundiários lacaios do imperialismo, principalmente ianque, através do Partido Único e suas várias frações, sejam de situação ou de oposição.

Nunca será demasiado afirmar que só a Revolução de Nova Democracia poderá trazer uma nova política, uma nova economia e uma nova cultura para o Brasil, o Brasil Novo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin