Previdência Social e Questão Agrária (Parte 2)

A- A A+

http://www.anovademocracia.com.br/179/08.jpg
“El problema agrario en América Latina “, gravura de Alberto Beltrán

8 Se a aposentadoria rural equiparada ao salário mínimo surgiu de um anseio elementar de justiça, seus efeitos se projetam muito além. Os R$ 1.760 que ela garante hoje a um casal de idosos no campo, além de ser a contrapartida pelo trabalho deles durante a vida, têm um efeito econômico de subsídio agrícola, impedindo que eles sejam obrigados a abandonar a terra. A renda previdenciária é muito importante na sustentação da agricultura camponesa, poupando os filhos do ônus financeiro do sustento dos pais idosos e deixando-lhes recursos livres para ter uma vida um pouco menos sacrificada e até para investir no aprimoramento de sua atividade agrícola. Neste quadro, a disputa em torno da Previdência rural expressa a contradição entre o campesinato e o latifúndio financeirizado ou agronegócio. Mas não só.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza