Crimes premeditados e continuados da Vale/BHP/Samarco

A- A A+
 

No dia 5 de novembro deste ano completou-se um ano do crime premeditado  e continuado da Vale-/BHP Billiton/Samarco em Mariana, Minas Gerais, com total impunidade às saqueadoras mineradoras e demonstração de total servilismo e conivência dos podres governantes de turno (os atuais Viscondes de Barbacena da semicolônia Brasil). Nenhuma punição foi aplicada aos proprietários e aos diretores da Vale-BHP Billiton/Samarco que premeditaram o rompimento da barragem de Fundão e assassinaram 23 pessoas; apenas o indiciamento de 22 componentes das cúpulas dessas empresas por “homicídio com dolo (sic) eventual”.

http://anovademocracia.com.br/180/05a.jpg
Manifestação denuncia um ano de impunidade dos crimes da Vale/BHP/Samarco, Mariana, MG

Apesar das propagandeadas multas milionárias emitidas pelo Ministério Público, juízes, Ibama etc., nem um centavo de multa foi pago, desmoralizando mais uma vez esses órgãos do Estado capacho e mostrando o poder de mando e a cobertura que as grandes mineradoras e o capital financeiro que as controla (Bradesco, bancos ianques, ingleses etc.) têm no país. Os genocidas e vendilhões governos Temer/Pimentel e quadrilha, financiado e propinado pelas mineradoras, bancos etc. e o podre judiciário, que também recebe as propinas das mineradoras e dos bancos, são cúmplices desses crimes de lesa-pátria. O lucro da Vale/BHP/Samarco supera a casa das dezenas de bilhões de reais.

Completa-se um ano da avalanche de rejeitos tóxicos de minério de ferro despejada pela Vale/BHP/Samarco nos leitos e margens do Rio Gualaxo do Norte, Rio do Carmo e Rio Doce, com o premeditado rompimento da barragem de Fundão, que soterrou distritos de Bento Rodrigues e dezenas de outros, além das cidades capixabas de Baixo Guandu, Colatina, Linhares, Regência e a região norte do litoral do Espírito Santo.

Agora, em Bento Rodrigues, Vale/BHP/Samarco fazem nova barragem (diques S3 e S4). Os terrenos foram tomados das famílias que lá moravam há várias gerações através da medida de força do oportunista e traidor governo Fernando Pimentel/PT . Este, a serviço da Vale e da BHP, através do decreto número 500, de 20 de setembro de 2016, impôs a “requisição administrativa de terreno localizado no distrito de Mariana para implantação do dique S4”, sem ao menos pagar um centavo de indenização para os moradores da já devastada Bento Rodrigues, sem obrigar as empresas a cumprirem a promessade construção de novas moradias e novos distritos e ainda prevendo mais aporte de recurso para as mineradoras assassinas.

Em todo esse um ano, os rejeitos tóxicos não pararam de ser lançados na bacia do Rio Doce, pois os rejeitos de outras minas da Vale também são lançados nas barragens danificadas e transportados pelo danoso sistema de minerodutos. A nova represa de rejeitos em Bento Rodrigues, além das de Germano, Santarém e de Fundão, servirá para aumentar o saqueio, o roubo e a exploração de minério na região, como era seu plano macabro, desde 2009, expresso no manipulado processo de “licenciamento ambiental PA COPAM: 00015/1984/093/2012” de “maximizar a capacidade de armazenamento de rejeitos nas barragens já existentes através da implantação de um empilhamento de rejeito arenoso à jusante da Barragem de Fundão”.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

E nos distritos e cidades próximas, de uma forma cínica e contando com o aparato da polícia e da “defesa civil” do Estado, faz a instalação de sirenes nas comunidades, dizendo que é para “alertar em caso de qualquer necessidade”. Ou seja, para alertar os dramas de prováveis novas avalanches de lama de rejeitos tóxicos causadas pela sua forma predatória e criminosa de exploração e de roubo das riquezas minerais do país. Tudo com a cumplicidade dos governos de turno, Michel Temer/PMDB e Fernando Pimentel/PT, lambe-botas e vende-pátria.

Nossos sentimentos de revolta pela morte dos operários terceirizados: Claudio Fiuza, 40 anos;  Sileno Narkievicius de Lima, 47 anos; Waldemir Aparecido Leandro, 48; Marcos Xavier, 32; Marcos Aurélio Pereira Moura, 34; Samuel Vieira Albino, 34; Mateus Márcio Fernandes, 29; Edinaldo Oliveira de Assis; Daniel Altamiro de Carvalho, 53; Claudemir Santos, 40; Pedro Paulino Lopes, 56; Vando Maurílio dos Santos, 37; Ailton Martins dos Santos, 55; e Edmirson José Pessoa, 48, único operário contratado diretamente pela Vale/BHP/Samarco. Estas malditas empresas não tiveram a honradez de resgatar seu corpo para a família e amigos enlutados fazerem a última homenagem. Seu corpo permanece soterrado sob toneladas de lama.

Nossos sentimentos de revolta pelas mortes das crianças Emanuely Vitória, 5 anos;  Thiago Damasceno Santos, 7; e da criança do ventre de Priscila Monteiro que sofreu aborto; dos outros moradores de Bento Rodrigues, Maria Elisa Lucas, 60; Maria das Graças Celestino, 64; e Antônio Prisco de Souza, 73, além de outras três mortes e oito tentativas de suicídio, casos de depressão e estresse pós-traumático.

Mais de 6 milhões de pessoas, o povo dos distritos atingidos de Mariana e toda população ao longo dos cerca de 663 quilômetros da bacia do Rio Doce sofrem diretamente os efeitos do saqueio e destruição perpetrados pela Vale/BHP/Samarco. As pessoas continuam sem suas moradias, sem água potável ou com dificuldade de sua obtenção, sem os seus meios de sobrevivência; os povos indígenas permanecem sem o acesso ao rio, à água potável, toda sua forma de vida, cultura e religiosidade, sem o Watu (o Rio Doce), assassinado pela ganância da Vale/BHP/Samarco; os pescadores, ribeirinhos, moradores das cidades ao longo do rio ainda são afetados pela contaminação do rio e do mar.

http://anovademocracia.com.br/180/05b.jpg

O judiciário podre e todas instituições burguesas são também cúmplices dos crimes das mineradoras. A Samarco (Vale e BHP Billinton, de propriedade do Bradesco e outros parasitas grupos financeiros) chantageia os comerciantes locais dizendo que vai deixar de operar se tiver que reparar a destruição, tentando, com isso, colocar povo contra povo, colocar-se como vítima e continuar saqueando a região e destruindo progressivamente a vida das pessoas e o meio ambiente. tudo para embolsar mais e mais superlucros.

A revolta do povo soterrado de Bento Rodrigues, que teve seus entes queridos mortos e feridos, e suas casas, comércios, escolas, igrejas, praças e plantações destruídas, que agora tem seus terrenos roubados pela Vale/BHP/Samarco; a revolta das famílias dos 13 operários terceirizados mortos e a do operário Edmirson José Pessoa, até hoje desaparecido, soterrado pela lama; a revolta dos povos indígenas, particularmente o povo Krenak, que sofrem a morte do Watu e toda tragédia que significa a falta de água, de alimentos, de meios de desenvolver a agricultura e a pecuária e da sua religiosidade, a revolta dos pescadores, ribeirinhos, pequenos comerciantes e todos afetados pelo crime de lesa-pátria das saqueadoras mineradoras transnacionais, SÃO A NOSSA REVOLTA!!!

O BRASIL PRECISA DE UMA GRANDE REVOLUÇÃO!

O brado lançado pelos bravos Tiradentes e Conjurados de Vila Rica está mais atual e necessário do que nunca:

LIBERTAS QUAE SERA TAMEN!!!

LIBERDADE AINDA QUE TARDIA!!!

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja