Peru - 3 de dezembro: Dia do Exército Guerrilheiro Popular

http://anovademocracia.com.br/181/24.jpg

Neste 3 de dezembro completam-se 37 anos da fundação do Exército Guerrilheiro Popular (EGP) plasmado pelo Partido Comunista do Peru (PCP). Neste dia, em 1979, na I Conferência Nacional pessoalmente dirigida pelo Presidente Gonzalo, se definem a estratégia e tática e o primeiro plano militar da Guerra Popular e o alinhamento básico de construção do Exército Popular, concluindo, mediante luta de duas linhas, com a fundação da primeira companhia do Exército Vermelho – definindo-se mais tarde este dia como o “Dia do Exército”.

Um Exército de novo tipo

Definiu-se como tarefas políticas deste Exército: combater (como tarefa principal), mobilizar (que implica politizar, mobilizar, organizar e armar as massas) e produzir (para não ser peso ao povo). Sua construção estabelece: o principal é basear-se no marxismo-leninismo-maoísmo, pensamento gonzalo e guiar-se sempre pelas linhas política e militar e direção política do PCP, e depois, assim, construir seus destacamentos militares, pelotões, companhias e batalhões para levantar as massas, armá-las para demolir o velho Estado e construir o novo.

Esse caráter absolutamente novo do Exército Guerrilheiro Popular só pôde plasmar-se integralmente dada sua construção concêntrica em torno do Partido Comunista, por um lado, e sua sustentação pelas massas aglutinadas na Frente Única, por outro. Tese esta desenvolvida como aporte da Revolução Peruana e do pensamento gonzalo ao marxismo-leninismo-maoísmo e à Revolução Proletária Mundial.

O Presidente Gonzalo desenvolvendo a tese do Presidente Mao acerca dos três instrumentos da revolução (“as três varinhas mágicas”) estabeleceu a construção concêntrica destes como sendo: o Partido Comunista eixo e centro, direção da revolução; Exército Popular, principal forma de organização das massas e feito para fazer a revolução; e Frente-Novo Estado, embrião da República Popular que sustenta a Revolução.

Subsequentemente, o Presidente Gonzalo desenvolve também a tese da militarização do Partido, que organicamente implica que todos os militantes do PCP passassem a ser também combatentes do EGP, assumindo assim o Partido a direção absoluta das ações da Guerra Popular e seus militantes cumprindo as três tarefas: ser antes de tudo e principalmente comunistas, combatentes do Exército e dirigentes da Frente ou administradores do Novo Estado, conforme corresponde. Tais teses constituem aportes de validez universal para a Revolução Proletária Mundial.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin