Mobilizações exigem liberdade aos presos políticos na Índia

A- A A+

Várias ações foram realizadas em diferentes países por todo o globo, conclamados pelo Dia Internacional de Solidariedade e luta incondicional dos presos políticos na Índia, contra a Operação “Caçada Verde” e em apoio à resistência dos camponeses e povos tribais que se alçam em Guerra Popular dirigida pelo Partido Comunista da Índia (Maoísta).

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Foram registradas ações na Áustria, Colômbia, Galícia (Estado espanhol), Chile, Itália, França e  Brasil.

Nas cidades austríacas de Innsbruck, Salzburg, Linz e Viena foram colados cartazes em honra e glória ao dirigente maoísta Kishenji, preso em 24 de dezembro de 2011, cruelmente torturado até a morte.

Em frente à embaixada ianque, na Colômbia, um combativo comício foi realizado, onde foram denunciados a situação dos presos políticos democráticos e revolucionários na Índia e as guerras de rapina que movem os imperialistas no Oriente Médio.

Na Galícia, cartazes e pichações exigiam a libertação imediata ao camarada Ajith, dirigente maoísta preso nas masmorras do velho Estado indiano.

No Chile, inscrições foram deixadas em frente à embaixada indiana e um intenso trabalho de propaganda feito nas escolas e universidades, com cartazes denunciando a barbárie do velho Estado e a heroica Guerra Popular, dirigida pelo PCI (Maoísta).

Nas cidades italianas de Tarento, Bergamo e Palermo, murais e cartazes foram pendurados denunciando os crimes de guerra do Estado indiano e a luta travada pelos camponeses e povos tribais. Em Milão, uma plenária para estudar o assunto foi realizada.

Na capital francesa, Paris, ocorreu uma manifestação em frente ao Palácio da República. Uma faixa estampava: “Viva a Guerra Popular na Índia! Tributo aos camaradas caídos. Liberdade a Ajith!”. Além disso, dezenas de cartazes e pichações foram espalhados pelas ruas e nas universidades.

No Brasil, nas cidades de Belo Horizonte e Rio de Janeiro ocorreram manifestações e marchas. Na primeira cidade, um bloco vermelho e combativo interveio no Dia Nacional de Mobilização contra os pacotaços antipovo de Temer/PMDB com uma faixa escrito em inglês “Down with ‘green hunt’ operation” (em português “Abaixo a Operação ‘Caçada Verde’”). Um estandarte estampando a dirigente revolucionária Sandra Lima foi erguido e abrilhantou ainda mais o bloco. A polícia tentou reprimi-lo quando este se apoiou num monumento na praça central, mas sem sucesso.

No Rio de Janeiro, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo) realizou um protesto em frente ao consulado ianque, no centro da cidade. Uma faixa exigia: “Liberdade incondicional dos presos políticos da Índia”. Cartazes exigiam ainda o fim da Operação “Caçada Verde” e denunciavam a sanha sanguinária do imperialismo ianque.

O Dia Internacional de Solidariedade à Guerra Popular e pela liberdade incondicional dos presos políticos da Índia foi exitoso e deu mostras da sólida aliança forjada pelos revolucionários do mundo através do internacionalismo proletário.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja