Lutas de Libertação Nacional

A- A A+

Síria: Imperialistas agridem e partilham a nação

Pelo menos 62 civis foram assassinados por bombardeios efetuados pela criminosa “coalizão” imperialista encabeçada pelo USA neste 7 de dezembro, na Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Os ataques contra as massas, enrolado no “intocável” manto de “guerra ao terrorismo” e “guerra ao Estado Islâmico”, faz parte da ofensiva desta coalizão por controlar a província de Al Raqqa, no nordeste da Síria (hoje considerada capital do Estado Islâmico), impulsionando assim a repartilha e a dominação estrangeira neste país.

Entre os 62 civis que tiveram sua vida ceifada pela besta imperialista, há pelo menos cinco crianças e 17 mulheres.

A operação movida pelos ianques para tomar e controlar a cidade síria de Raqqa, denominada “Ira do Eufrates”, se iniciou neste 6 de dezembro, contando como bucha de canhão os mercenários aglutinados nas “Forças da Síria Democrática”.

Estes 62 assassinatos somam-se à odiosa cifra de 721 mortos pelos bombardeios da “coalizão” imperialista encabeçada pelo imperialismo ianque, desde 23 de setembro de 2014.

Em Aleppo, onde se desenvolve intensa pugna entre USA e Rússia através de seus títeres, prossegue-se a partilha da nação síria. Neste 7 de dezembro, o exército de Assad, serviçal dos russos, declarou assumir o controle total de Aleppo após reconquistar os bairros de Bab al-Hadid e Aqyul, destronando os grupos mercenários bancados e a serviço dos ianques, que debandaram. Um cessar-fogo foi pedido pelos ianques no conselho de segurança da ONU e imediatamente vetado pela Rússia e China.

Em meio à agressão e partilha da nação síria pelas duas superpotências imperialistas e seus sócios temporários, as massas sofrem todo tipo de penúrias e são mergulhadas no caos da guerra de rapina. Ainda segundo o OSDH, mais de 80 mil civis se deslocaram de Aleppo e mais 26 acabaram mortos, entre eles quatro crianças.


Iraque: Cerco imperialista deixa civis sem água

Mais de 500 mil civis que habitam Mosul, cidade palco de uma grande escalada da guerra para dominar o território iraquiano impulsionada pelo USA e sócios menores, sofrem com um criminoso cerco e aniquilamento praticado pelos ianques desde 30 de novembro deste ano. Este criminoso cerco impede a entrada de água potável e da já precária quantidade de alimentos.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja