A moda pegou

Ainda de molho por causa de um AVC, não consigo produzir reportagens, mas cartas tenho feito algumas sim.

Então, aí vai uma, destinada aos leitores do nosso sempre combativo AND.

Decidi escrever porque percebi que tinha algo interessante (e lamentável) a comentar com a galera que lê o nosso jornal.

Turma, infelizmente acho que a apologia à semicolonialidade na TV, iniciada por uma campanha em favor do agronegócio, parece ser uma moda que pegou.

A edição nº 181 de AND denunciou as mentiras da propaganda “Agro é Tech, Agro é Pop, Agro é Tudo”.

Pois então.

As classes dominantes estão sentindo necessidade de se auto-elogiarem, provavelmente porque verificaram que o povo está abrindo os olhos. E quando isso acontece, elas (as dominantes) sabem: é o cipó de aroeira que canta no lombo de quem sempre mandou dar.

Se falei que tudo indica que a moda pegou é porque a ACIF, Associação Comercial e Industrial de Florianópolis, acaba de lançar a publicidade “Onde tem Empresário tem Gente”.

Em vídeo, é uma peça estilosa, quase do mesmo jeito que a outra, a do agronegócio.

Mas a frase-slogan, na minha opinião, tem gosto duvidoso e se faz de burraldina.

Porque claro que tem gente onde tem empresário, Pedro-Bó! Ou será que teria apenas baratas e moscas por causa da sujeirada?

Sim, turma, pois não é de hoje que se sabe que coisas mal cheirosas costumam cercar os negócios da alta burguesia.

São detritos que estão na raiz capitalista da atividade desta classe, que faculta o enriquecimento devido à exploração do homem pelo homem.

Um “defeito de origem”, digamos.

Ou seja: é aquilo que se expressa, na base da acumulação da fortuna, na prática da mais-valia, que empobrece o pobre e enriquece ainda mais o rico.

Isso para dizer o mínimo.

Saudações!

Rosana Bond*, jornalista, Florianópolis-SC, em 16 de dezembro de 2016.

_____________________
*Rosana Bond é membra do conselho editorial e ex-editora-chefe do Jornal A Nova Democracia.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro