Luta dos Povos Indígenas

RO: Indígenas expulsam invasores

Com informações do Amazônia Real

Os Jupaú da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, ao norte do estado de Rondônia, cansados da invasão do seu território, resolveram expulsar os invasores por conta própria.

Os indígenas denunciam desde início de 2016 a intensificação da exploração dos recursos naturais do seu território à Polícia Federal, Funai e Ministério Público Federal, que nada fizeram.

Na manhã de 14/02, sete indígenas, portando arcos e flechas, máquinas fotográficas e celulares, partiram da Aldeia Jamari, caminharam por 35 quilômetros dentro da floresta até o loteamento clandestino, situado na Linha 5, no município de Monte Negro, no qual vivem cerca de 5 mil pessoas. Nesta área, a grilagem, a pesca predatória e a extração de madeira são mais intensas.

Na operação, três homens a serviço de madeireiras foram presos e expulsos da terra indígena, além da destruição de uma balsa e a apreensão de motocicletas e uma arma de fogo. Os indígenas retornaram à aldeia no dia 17/02.

No dia 19/02, os Uru-Eu-Wau-Wau, como também são conhecidos os Jupaú, acompanhados com membros da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé, retornaram ao local de extração de madeira e detiveram mais dois invasores, que depois foram expulsos da área.

Os indígenas descobriram que os invasores utilizam um posto da Funai dentro do seu território, construído em 2013, mas que nunca foi ocupado pelo órgão federal, como local de reunião e base de operação para as suas atividades ilegais.

A TI Uru-Eu-Wau-Wau sofre com a ação de madeireiros, grileiros, garimpeiros e latifundiários. Além disso, políticos e latifundiários dos municípios de Ariquemes e Monte Negro incentivam e organizam a invasão e ocupação da terra indígena.

Os Jupaú temem ataques dos bandos paramilitares a serviço de latifundiários, grileiros e madeireiras. “A gente tem medo de vir [os invasores] atacar as aldeias. Mas a nossa preocupação é de eles estarem tudo armado. Preocupados em atacar nossa aldeia”, relatou Awapú a agência de notícias Amazônia Real.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro