Argentina: Jornalismo a serviço do agronegócio

http://anovademocracia.com.br/186/19.jpg

Enquanto no Brasil a Globo com sua campanha “Agro é Tech, Agro é Pop, Agro é tudo” investe para nos convencer das benesses do modelo semicolonial adotado pelo país, de consagrar suas terras para produzir commodities, na Argentina os monopólios dos meios de comunicação, por sua vez, se empenham no tema local de um jeito muito mais agressivo.

No país vizinho a campanha permanente conta com c. Esses profissionais alimentam um monopólio  poderosíssimentenas de jornalistas que ganham para defender um modelo agropecuário para exportação baseado em transgênicos e agroquímicoso composta por suplementos em jornais, programas de rádio, tv e sítios na internet, com um conteúdo pretensamente científico e jornalístico.

Além disso, empresas do setor desenvolvem suas próprias peças “jornalísticas”- publicitárias. Parecida com a da Rede Globo foi lançada a campanha  El campo hace bien (O campo faz bem) com filmetes visando melhorar sua imagem nas cidades.

Em um ato escandaloso que simboliza a perda de soberania para uma transnacional imperialista e contaminante, dias atrás, a TV Pública Argentina passou a ceder seus horários das tardes de domingo para um novo programa: Locos por el campo (Loucos pelo campo) produzido pela Monsanto, líder mundial na produção de agrotóxicos e comercialização de sementes transgênicas.

Mas, toda essa ofensiva do agronegócio – latifúndio de roupagem nova – e seu entorno tem um motivo: a difusão das inúmeras denúncias e estudos sobre os males do herbicida glifosato, transgênicos e demais mazelas do modelo de produção agrário que criaram uma opinião pública contrária.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro