De volta para o sertão

A gravação de Asa Branca*, um dos maiores clássicos de todos os tempos da música popular brasileira, completou 70 anos em março de 2017. A toada, que tem versões em dezenas de idiomas, inclusive em japonês e coreano, foi imortalizada na voz de Luiz Gonzaga e expressa de forma magnífica as agruras do povo sertanejo e também as veias abertas da semifeudalidade no Brasil.

No final da década de 40 do século passado, no Rio de Janeiro, então capital da República, foram escritas algumas letras de músicas que desencadeariam a febre do baião Brasil afora, entre as mais conhecidas: No Meu Pé de Serra, Juazeiro e Aza Branca (assim, com “z”, na época). No início do ano de 1947, o advogado cearense Humberto Teixeira e o sanfoneiro pernambucano Luiz Gonzaga se conheceram na agitada vida cultural da cidade. No dia 3 de março do mesmo ano é composta em parceria a canção Asa Branca, considerada o hino do Nordeste.

Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, faz jus à sua alcunha. O pernambucano, natural do município de Exu, migrou ainda jovem do Nordeste para o Sudeste, no Rio de Janeiro, onde construiu sua carreira artística mostrando a todo o povo brasileiro a cadência do ritmo nordestino. A canção Asa Branca foi certamente fruto da bagagem que os dois, ele e Humberto Teixeira, levaram consigo para o Rio.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin