Dirigente popular assassinada no México

Meztli Sarabia Reyna, militante revolucionária e dirigente popular mexicana, foi assassinada por quatro pistoleiros na manhã de 29 de junho, no escritório da União Popular de Vendedores Ambulantes (UPVA) “28 de Outubro”, no mercado Hidalgo, em Puebla. Ela foi alvejada por dois tiros, um no abdômen e outro na nuca.

Cortejo popular por Meztli (Eduardo Sánchez Montero)Cortejo popular por Meztli (Eduardo Sánchez Montero)

Junto ao corpo de Meztli, os assassinos deixaram uma mensagem escrita: “Isso acontecerá com todos os apoiadores de Simitrio. Siga você Simitrio e aos que apoiem Simitrio. Fora a 28”.

Poucos minutos depois de seu assassinato foi desatada uma campanha de desinformação contra a militante e sua organização, apresentando-a como traficante e achacadora, advertindo sobre a iminência de uma onda de violência e aconselhando as pessoas a não visitarem os mercados onde trabalha a UPVA.

Meztli, que já havia sido atacada duas vezes em 2017, tinha 42 anos e dois filhos. Ela ocupava um cargo secretarial na UPVA e era filha de Ruben Sarabia Reina (Simitrio), dirigente histórico da “28 de Outubro”.

40 anos de lutas populares 

O nome “28 de Outubro” é uma referência histórica à brutal repressão da noite de 28 de outubro de 1973. Nesta ocasião, a polícia expulsou os vendedores das ruas ao redor do Mercado da Vitória, no Centro Histórico de Puebla. Barracas foram destruídas e queimadas e as pessoas que trabalhavam nelas, assassinadas. Nunca se soube o número exato de mortos.

As pessoas carregaram os cadáveres com medo de que até os corpos lhes fossem tomados. Os vendedores ambulantes trabalhavam naquela localidade há anos. Na época, Puebla passava por uma cruzada anticomunista.

A “28 de Outubro” sobreviveu à quatro décadas de acosso e repressão. Agrupa hoje uns 5 mil sócios, em sua maioria vendedores e taxistas com uma capacidade surpreendente de mobilização. É a organização popular independente mais antiga do estado mexicano de Puebla.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro