Índia: Conluio de reacionários

Redação de AND: Reproduzimos a seguir uma adaptação da nota publicada pelo Comitê Internacional de Apoio à Guerra Popular na Índia (sigla em inglês, ICSPWI) em decorrência da visita de Narendra Modi à Israel.

No dia 4 de julho, o primeiro-ministro indiano Narendra Modi visitou Israel. Esta foi a primeira vez que um primeiro-ministro indiano realizou uma visita oficial a este Estado genocida-sionista. Deixando de lado todas as normas do protocolo, o primeiro-ministro sionista Benjamin Netanyahu chegou ao aeroporto Ben-Gurion para receber Modi.

Mas voltemos um pouco atrás. O Knesset, o parlamento israelense, aprovou recentemente um projeto de lei que define Israel como “lar nacional do povo judeu”. Com isso, 1,65 milhões de árabes palestinos (20,7% da população do país) tornaram-se cidadãos de segunda classe no “lar nacional judeu”.

Portanto, Modi esteve no país dos sonhos de seu Guruji Golwalkar (ideólogo reacionário indiano fundador da Organização Patriótica Nacional - RSS -, considerada organização-mãe do  Partido Bharatiya Janata, do qual Modi faz parte), cuja pregação dizia que “as raças estrangeiras na Índia devem adotar a cultura e a língua hindus, devem aprender a respeitar a religião hindu, não devem ter ideias senão as da glorificação da raça e da cultura hindus, ou seja, da nação hindu, e devem perder a sua existência separada para se fundir na raça hindu ou permanecer no país, totalmente subordinada à nação hindu, não reivindicando nada, não merecendo privilégios, muito menos qualquer tratamento preferencial – nem mesmo os direitos dos cidadãos. Nós somos uma nação antiga. Deixe-nos lidar, como as nações antigas devem lidar com as raças estrangeiras que escolheram viver em nosso país”.

Modi está visitando a terra onde o sonho do RSS se concretizou. Não é surpreendente que Modi e Netanyahu estejam se chamando de irmãos e se abraçando repetidamente.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro