Peru: Nova ação aniquila sargento do Exército reacionário

Um militar do Exército reacionário foi aniquilado por combatentes maoistas no distrito de Llochegua, em Huanta (Ayacucho), em 31/07. A informação foi veiculada pelo sítio da Associação de Nova Democracia Nuevo Peru.

Reorganização geral do PCP

O militar era sargento do Comando Especial do VRAEM (Vale dos Rios Apurimac, Ene e Mantaro) e morreu após a ação.

Esta é a segunda ação em menos de uma semana do Exército Popular de Libertação (EPL) dirigido pelo Partido Comunista do Peru (PCP) em pleno culminar da sua Reorganização Geral. Ao todo, 10 soldados foram feridos e um aniquilado.

Reorganização geral do PCP

Em comunicado publicado por ocasião dos 37 anos do início da Guerra Popular (17 de maio de 2017), o PCP sintetizou o processo de Reorganização Geral afirmando: “Neste aniversário nos reafirmamos na conquista do poder em todo o país, através da violência revolucionária que se concretiza na Guerra Popular, também nos reafirmamos na tarefa pendente da Reorganização Geral do PCP em função de resolver o problema do difícil e complexo ‘recodo’, corrigindo os problemas cometidos no passado que causaram muitos danos, o qual a reação e os novos revisionistas têm usado para seus obscuros fins; nosso compromisso é que a RGP (Reorganização Geral do Partido) leve à sua culminação”.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Em entrevista realizada em 2013 e publicada pelo Movimento Popular Peru (Comitê de Reorganização) em março deste ano, a Camarada Laura, dirigente do PCP e comandante do EPL no VRAEM recordou:

No que deu a chamada ‘derrota do sendero’, ‘derrota do terrorismo’, ‘acordo de paz’? Cremos firmemente que tudo isto é uma infâmia contra o Partido. Com fervor revolucionário desfraldamos ao vento as bandeiras vermelhas da rebelião. Viva a Guerra Popular! A Rebelião se justifica! Tomar os céus de assalto! Nossa arma invencível: O marxismo-leninismo-maoismo pensamento gonzalo. Os reacionários dizem: rendam tuas armas. Nós respondemos: Venham tomá-las!”, completou.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin