Cabral/Pezão & Cia estão matando a Uerj

A- A A+

A partir desta edição de AND faremos uma série de entrevistas com alunos, funcionários, pesquisadores e professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) mostrando como a universidade pública vem sendo destruída ao longo de anos, mais acentuadamente pelas políticas dos gerenciamentos Cabral/Pezão/PMDB.

Centenas de professores da Uerj se reuniram em assembleia e iniciaram nova greve (Ellan Lustosa/AND)
Ellan Lustosa/AND

Na tarde de 1º de agosto, centenas de professores da Uerj se reuniram em assembleia e iniciaram nova greve contra os ataques mais descarados da gerência Pezão/PMDB que está assassinando a universidade. Ainda na primeira quinzena de agosto, a Uerj fechou as portas por tempo indeterminado, e a reitoria não tem previsão de quando será o primeiro semestre letivo do ano.

Professores, funcionários e terceirizados sem receber, atraso nas bolsas acadêmicas, bandejão sem funcionar e estrutura caindo aos pedaços são só alguns dos graves problemas que os ‘uerjianos’ vêm enfrentando.

Nossa reportagem entrevistou Mauro Amoroso, professor de História da Educação na licenciatura de Pedagogia da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense (FEBEF/UERJ) e no Mestrado em Educação. Mauro nos contou sobre a grave situação da universidade.

— Eu e os demais servidores da pasta de Ciência e Tecnologia e de pastas como a Saúde estamos com os salários de maio (recebemos deste apenas uma parcela de R$ 550,00) e junho atrasados, além do décimo terceiro. Tem sido uma situação de muita dificuldade, pois temos que realizar malabarismos para não termos nossas contas tão atrasadas assim. Pedimos dinheiro emprestado para amigos e familiares, além das instituições bancárias e seus mais que abusivos juros. Alguns colegas ainda têm a situação complicada, pois muitos já contam com idade avançada e ainda são arrimo de família — conta Mauro.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

— Pense na seguinte situação: imagine você, depois de décadas trabalhando pela educação superior pública, já com uma certa idade, ter que negociar com credores de todo o tipo e ainda não saber como continuará providenciando auxílio para parentes com ainda mais idade e com um estado de saúde que demanda remédios caros e que não podem ter o uso suspenso. Existem colegas nesta situação — denuncia.

O professor também falou sobre a situação geral da Uerj e apontou que os ataques de Pezão têm um claro objetivo: fechar a universidade.

— O atual ocupante do Palácio Guanabara já deu declarações públicas dizendo não achar necessário uma administração estadual possuir uma universidade, pois a mesma seria “cara”. Já paramos no início do ano por alguns meses, e tivemos que parar agora, pois o governador descumpre qualquer acordo feito de pagamento de custeio. Nenhuma terceirizada se responsabiliza por assumir o bandejão da Uerj, pois sabe que não haverá repasses do estado. — conclui Mauro Amoroso.

tag:

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait