Índia: Ação fere 3 soldados de Forças Especiais

Marcha guerrilheira na selva, região sul de Bastar
Marcha guerrilheira na selva, região sul de Bastar

Combatentes do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL) emboscaram uma patrulha da Força Tarefa Especial da polícia de Chhattisgarh, no distrito de Sukma, segundo informou a imprensa local em 16/08.

A emboscada foi empreendida com explosivos caseiros e feriu três agentes da repressão que participavam de uma operação anti-guerrilheira com outras forças policiais.

A Força Tarefa Especial é uma unidade policial especializada constituída em alguns estados da Índia para combater principalmente o Partido Comunista da Índia (Maoista) e o EGPL, dada a insuficiência dos seus demais efetivos.

Esta ação veio poucos dias após a decisão das “autoridades” em deslocar mais efetivos para as zonas guerrilheiras de Chhattisgarh. Ao todo, a reação objetiva mobilizar 75 mil agentes para combater os revolucionários e a luta das massas no estado.

Dias antes, em 07/08, dois agentes da repressão foram aniquilados durante outra emboscada empreendida por unidades do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL), em Chhattisgarh.

O contingente policial patrulhava próximo à aldeia de Bhave, a 150 km da capital do estado, Raipur.

Entre os aniquilados está um subinspetor da polícia de Chhattisgarh, que morreu no local.

Reação constata vitórias maoistas

O Departamento de Estado do USA, em relatório intitulado “Relatórios nacionais sobre terrorismo de 2016”, emitido em julho de 2017, também levou em conta as vitórias do PCI (Maoista), acusando-o de “terrorista”.

Segundo o relatório, os três países com maiores atividades subversivas são, respectivamente, Iraque, Afeganistão e  Índia. Uma menção especial foi feita aos maoístas indianos.

O PCI (Maoista) e o EGPL são considerados pelo velho Estado a principal ameaça interna para sua sobrevivência.

As forças policiais do velho Estado elaboraram um balanço sobre suas operações de guerra contra o povo e sobre a atuação do Partido Comunista em dez estados com maior atividade revolucionária, no início de agosto.

Em relatório, a reação constatou que o estado de Chhattisgarh segue sendo a região onde suas forças são mais débeis e frágeis.

As “autoridades” alardearam que é urgente implantar novas forças de inteligência na região para capturar os dirigentes maoistas, como parte do plano para combater a rebelião das massas e a guerra popular.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro