Fascistas e neonazistas marcham no USA

A- A A+

Contenda entre revolução e contrarrevolução


Alejandro Alvarez/Reuters Fascista atropela marcha e assassina mulher na Virgínia - Alejandro Alvarez/Reuters
Fascista atropela marcha e assassina mulher na Virgínia

Grupos fascistas, supremacistas brancos e neonazistas realizam uma marcha ostentando fuzis e metralhadoras na cidade de Charlottesville, no estado de Virgínia, no dia 12/08.

Os fascistas reivindicavam a manutenção da estátua do general confederado Robert Lee, localizada em um parque da cidade, contrariando a decisão do parlamento local de retirá-la. 

As consignas da marcha reacionária foram focalizadas em ataques contra negros, latinos, muçulmanos e comunistas.

Em resposta a esta repulsiva provocação, uma marcha antifascista foi convocada para o mesmo dia (12/08). Foram registrados confrontos. Um fascista lançou criminosamente seu carro contra os ativistas, atropelando dezenas de pessoas e matando uma manifestante identificada como Heather Heyer, de 32 anos.

Outros 19 ativistas ficaram feridos, e dois policiais morreram após a queda ainda não esclarecida de um helicóptero que acompanhava a situação.

Robert Lee foi um notório líder militar reacionário que, ao lado dos confederados, lutou na guerra civil estadunidense pela manutenção do regime escravocrata e contra a conclusão da revolução democrático-burguesa. Hoje é reivindicado e exaltado por grupos de extrema-direita.

Segundo fontes oficiais da própria polícia ianque, há um crescimento da atuação de grupos fascistas no USA. De 2015 a 2017, o número de grupos anti-islâmicos atuantes subiu 197% e mais de 315 incidentes contra imigrantes foram constatados desde o triunfo eleitoral de Trump, em 2016.

Ainda de acordo com estes dados, no ano de 1999, existiam 457 grupos fascistas por todo o país, enquanto que hoje constatam-se pelo menos 917 grupos com esta orientação ideológica reacionária, em sua maioria concentrados no sul do USA. Dentre eles, a Ku Klux Klan é o mais antigo, atuando desde 1865 e com mais de 130 células ativas atualmente.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Reação se assanha

As mobilizações fascistas expõem a situação que se desenvolve no USA de maior agudização da contradição burguesia-proletariado.

A maior ação militante do proletariado estadunidense, principalmente seus setores mais fundos compostos por negros e imigrantes (latinos e árabes) contra a exploração e a opressão do Estado imperialista ianque, proporcionou uma escalada na contenda entre revolução e contrarrevolução.

Vale destacar como exemplo de resistência do proletariado as ações militares dos jovens negros Micah Johnson e Gavin Eugene Long contra assassinatos de negros pela polícia, em julho do ano passado, em Dallas e Baton Rouge, noticiado em AND 173 e 174, respectivamente.

Atolado em uma profunda crise política, econômica e moral, e fustigado pela crescente luta das nações oprimidas e do proletariado contra sua dominação, o imperialismo necessita alimentar mais chauvinismo e ódio ao povo.

Cabe ressaltar que a massificação do discurso de “guerra contra o terror”, amplamente divulgado pelos monopólios de imprensa e usado como justificativa tanto por Obama como por Trump para o incremento das guerras de agressão imperialista ianques contra as nações do Oriente Médio, cumpre papel chave de despertar o chauvinismo que endossa o caldo de cultura reacionário do fascismo.

A reação mobiliza massas, principalmente a pequena-burguesia, sob a assombrosa bandeira de “nacionalismo branco”, alimentando inclusive grupos fascistas como Ku Klux Klan e neonazistas contra as massas pobres e com aguçado discurso anticomunista, dividindo o povo entre brancos e negros, para usá-los contra a situação revolucionária que se desenvolve.

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait