‘Um trem para Austin’ - Crime da PM é tema de documentário

O documentário Um trem para Austin, produzido pela equipe da Mídia Independente Coletiva (MIC), denuncia o assassinato do jovem de 18 anos, Matheus Evandre Benedictes Paredes, pela Polícia Militar em uma estação ferroviária da Zona Norte do Rio de Janeiro, no dia 27 de janeiro de 2017.

Mãe beija foto de seu único filho, Matheus
Ervandre, assassinado pela polícia
Mãe beija foto de seu único filho, Matheus Ervandre, assassinado pela polícia

O filme, que reúne os impactantes depoimentos dos pais do jovem Matheus denunciando o covarde crime, está disponível na internet divulgado pelo canal Bombozila, rede independente que divulga nacional e internacionalmente produções audiovisuais sobre questões sociais e políticas. Matheus era um jovem negro, morador de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Ele estudava, tinha 18 anos e o seu sonho era ser paraquedista. Foi visto pela última vez em 27 de janeiro quando saiu de seu bairro com um amigo e a namorada grávida de 4 meses, para visitar amigos e  familiares.

Matheus
Ervandre foi assassinado pela polícia
Matheus Ervandre

Os jovens foram abordados por 3 agentes do Grupamento de Policiamento Ferroviário (GPfer – subunidade da PM do Rio de Janeiro responsável por patrulhar os trens) no mesmo dia, por volta das 21h, entre as estações Central do Brasil e São Cristóvão. O jovem foi covardemente assassinado pelos agentes da GPfer dentro de um vagão que havia sido esvaziado pelos próprios policiais antes de sua morte.

A namorada de Matheus, que preferiu não ser identificada, foi a única testemunha do assassinato do jovem. Logo após o crime, ela declarou à imprensa que não houve nenhuma discussão por parte de Matheus com o policial. Ela estava de costas no fim do vagão já vazio, acompanhada de um policial, quando ouviu seu namorado gritar: “O que é isso, meu senhor! Não precisa disso, não”. E foi nesse momento que o tiro atingiu o rapaz, enquanto ela se virava para ver o que acontecia.

Em entrevista concedida ao Jornal A Nova Democracia, um dos diretores do documentário, André Miguéis, relatou:

— No dia da morte de Matheus, a Supervia [empresa que administra o transporte ferroviário] fez de tudo para evitar que a mãe do jovem tomasse conhecimento de que o seu filho havia sido assassinado no local. Eles ficaram enrolando ela, a fizeram transitar por todas as instâncias em busca do filho, tanto que Gilmara [mãe de Matheus] só soube da morte de seu filho no sábado às 11h da manhã, isso porque um funcionário da Supervia se sensibilizou com a situação e contou no ouvido dela o que tinha acontecido.

Ainda segundo denúncia de Miguéis, dos 3 policiais acusados de assassinar Matheus, atualmente um encontra-se afastado e os outros dois estão ativos no serviço do batalhão ferroviário.

A diretora do documentário, Paula Kossatz, em entrevista ao AND, afirmou que os mesmos policiais ameaçaram e continuam ameaçando a ex-namorada de Matheus, mandando intimações e rondando à paisana a casa de sua família e da família da vítima.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro