Hipócrita campanha ‘antiterror’ na Somália

Um brutal erro de cálculo em uma ação armada com caminhões-bomba provocou uma tragédia que matou 300 pessoas e feriu aproximadamente 400 outras no dia 14 de outubro, em Mogadíscio, capital da Somália. Segundo investigações, o ataque não tinha como alvo a população civil local.

A ação, que visava responder a uma operação militar ianque que assassinou 10 civis no interior do país, acabou por efetivar-se antes de alcançar o alvo pretendido. Conforme apurou um veículo do  monopólio da imprensa, o britânico The Guardian, pesquisadores assinalam que o alvo era um setor do aeroporto onde estão instaladas as embaixadas da ONU e as tropas da União Africana, que realiza intervenção militar na região sob mando dos “conselheiros” e agentes de inteligência ianques.

A motivação

Os oficiais que investigam a ação (que não foi reivindicada por nenhum grupo armado) apontam que esta seria resposta a uma brutal operação de guerra coordenada pelas Forças Armadas ianque e somali, ocorrida em agosto de 2017.

A operação consistiu em uma tentativa de invasão à pequena cidade de Bariire, a 50 quilômetros a oeste de Mogadíscio, onde está localizada a principal base do grupo armado Al-Shabaab (que compõe a Resistência Nacional). Ali, os invasores ianques dirigiram a chacina que assassinou 10 civis.

O homem que dirigia o caminhão-bomba nesse ataque do dia 14/10 foi identificado pelo velho Estado somali como ex-soldado do Exército local, nascido em Bariire. Entre os 10 civis mortos na ocasião, três eram filhos seus. O homem também é um conhecido militante local, tendo atuado já no grupo armado União dos Tribunais Islâmicos que chegou a controlar grandes parte da Somália antes de ser expulso por uma invasão etíope coordenada pelo imperialismo ianque.

Apesar dos justos alvo e motivação da ação armada, o seu erro na execução com a imensa perda de vidas de gente das massas está custando caro aos grupos islâmicos que endossam a Resistência Nacional, já que, pela dimensão da tragédia, foram direcionados para despertar solidariedade internacional e condenação do “terrorismo”.

Uma ampla onda de desprestígio está impulsionando a campanha reacionária do imperialismo ianque da “guerra antiterror” e encontrando eco na opinião pública somali. “Tais ataques covardes revigoram o compromisso dos Estados Unidos de ajudar nossos parceiros da Somália e da União Africana a combater o flagelo do terrorismo”, pronunciou hipocritamente a missão ianque na região, sendo eles os principais responsáveis pelo caos que assola o país.

Intervenções imperialistas

Hoje, a intervenção armada do imperialismo ianque intensificou-se contra a nação somali desde o governo reacionário de Barack Obama, recebendo um impulso com o arquirreacionário Donald Trump. Bombardeios, sobretudo com a utilização covarde de drones, mergulham o país no caos assassinando indiscriminadamente civis, apresentados como “terroristas”. Por esta razão, cresceram as ações armadas dos grupos islâmicos no país.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza