Conceitos científicos do proletariado - Capitalismo burocrático

Capitalismo burocrático - é a forma de capitalismo que vigora nas colônias e semicolônias, ou seja, países dominados pelo imperialismo.

Nestes países, o capitalismo não surgiu com o desenvolvimento econômico de uma burguesia local, mas com a expansão do capitalismo dos países então colonialistas.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

As potências colonialistas, quando desenvolveram a produção de mercadorias a ponto de suprir seu próprio mercado consumidor (século XIX), passaram a exportá-las para os países coloniais e semicoloniais, impedindo que nestes se desenvolvessem indústrias nacionais e capital nacional. Para este fim, nas colônias/semicolônias, também é mantido o monopólio da terra com os latifundiários, destinado à produção de commodities para exportação e que em grande medida impõe relações semifeudais ao campesinato. Tudo isso impediu o desenvolvimento autônomo da economia nacional.

Já no início do século XX, na época do imperialismo, as potências passaram a exportar principalmente capital financeiro, resultado da fusão de capital industrial com capital bancário.

Com essa inversão de capital, a grande burguesia local torna-se monopolista, crescendo como intermediária dos investimentos e em relações subalternas com os monopólios imperialistas atuantes no país, classe lacaia e submetida (semicolonialidade).

Capitalismo, mas de tipo burocrático, pois se sustenta na subjugação estrangeira do país e na dominação do latifúndio no campo. Ele evolui conforme a necessidade e interesse do imperialismo por força de trabalho barata, fornecimento de matérias-primas e mercados consumidores para seus produtos, na busca incessante dos monopólios transnacionais pelo lucro máximo.

Nesse capitalismo, o lucro e o capital produzidos no país são remetidos de volta aos monopólios do capital imperialista e para seus Estados, ficando uma migalha à grande burguesia e latifúndio, deixando o país no atraso.

No campo, embora também há inversão de capital (tipo “agronegócio”), mantêm-se as mesmas relações de propriedade apoiada na superexploração do campesinato baseadas em relações semifeudais, persistindo o problema e sustentando a dominação estrangeira.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro