Índia: Ações maoistas impõem quatro baixas

A- A A+

Ao menos quatro soldados das forças de repressão do velho Estado indiano foram retirados de combate por ações armadas do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL), dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Maoista). As ações ocorreram nos estados de Chhattisgarh e Orissa.

Ajay Brar
Maoistas instruem população da vila de Polampalli, Telangana, 2014
Maoistas instruem população da vila de Polampalli, Telangana, 2014

Uma das baixas ocorreu com o aniquilamento de um oficial da Guarda da Reserva Distrital (GRD), após uma troca de tiros com combatentes maoistas no dia 3 de novembro, no distrito de Kanker, em Chhattisgarh. Ele foi aniquilado na floresta próxima à aldeia de Binagunda, durante uma operação conjunta da polícia local com a GRD para capturar os revolucionários. Os maoistas cercaram os soldados e abriram fogo intenso.

Quatro dias antes (30/10), outro agente policial foi ferido e retirado de combate por uma mina terrestre, no distrito de Dantewada, em Chhattisgarh. Ele era soldado da GRD e estava participando com seu bando de uma operação anti-maoista próximo à aldeia de Telam-Tetam. A detonação da mina terrestre artesanal ocorreu em uma estrada de terra no interior da floresta.

A GRD, força policial envolvida nesses confrontos, é uma organização militarizada composta por aldeões e adivasis coagidos pelo velho Estado para combater os maoistas. Muitos deles são massas então organizadas pelos maoistas que foram capturadas e obrigadas a combater ao lado da reação.

No dia 28/10, já havia ocorrido uma feroz troca de tiros entre revolucionários e agentes da repressão, no distrito de Balangir, estado de Orissa. O superintendente da polícia do distrito, Siva Subramani, declarou que está crescendo a atuação dos maoistas na região da reserva florestal de Chandili. Na troca de tiros não houve feridos.

Minas terrestres detém polícia

No dia 25/10, uma mina terrestre detonada pelo EGPL desbaratou uma operação policial, no distrito de Narayanpur. Os soldados da reação foram obrigados a debandar para não serem feridos durante a detonação. A explosão produziu-se durante uma tentativa da polícia de capturar maoistas.

Cinco dias antes, dois agentes de uma força-tarefa especial de Chhattisgarh e uma mulher tribal que os acompanhava ficaram feridos quando um comando guerrilheiro realizou uma explosão com dispositivos artesanais, na aldeia de Orchha.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja