RO: Acampamento despejado em Rio Crespo

O Acampamento Bacuri foi despejado pela Polícia Militar no dia 24 de novembro em Rio Crespo, Rondônia. A PM criminosamente incendiou algumas casas das famílias camponesas – incluindo casas situadas fora do limite definido pelo mandado de reintegração de posse – e destruiu lavouras. Um camponês ainda foi agredido fisicamente, recebendo coronhadas nas costas. Segundo a carta aberta dos camponeses do Acampamento Bacuri, após o despejo, pistoleiros circularam pela área buscando intimidá-los, chegando a efetuar disparos de arma de fogo contra o acampamento.

Acampamento Bacuri foi despejado pela Polícia Militar

 As 66 famílias do acampamento estão abrigadas em uma área ao lado de onde ocorreu a reintegração de posse. Estas famílias receberam as promessas do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Programa Terra Legal de que as terras seriam adquiridas desde 2013, mas até hoje nada foi cumprido.

Assassinato, detenções e agressões

Famílias do Acampamento Boa Sorte foram agredidas e dez pessoas foram presas em ação conjunta das polícias Militar e Ambiental no dia 25/11. O ataque ocorreu quando os camponeses montavam um acampamento em um lote cedido pelo próprio proprietário no Assentamento Flor do Amazonas, em Candeias do Jamari. Estas famílias estavam alojadas no Ginásio de Esportes de Candeias do Jamari após serem despejadas no dia 14/11 de uma fazenda situada dentro do Assentamento Flor do Amazonas.

Acampamento Bacuri foi despejado pela Polícia Militar

Cerca de 20 policiais em cinco viaturas participaram da ação ilegal. Os policiais golpearam os camponeses com cassetetes, incluindo crianças e mulheres grávidas. Uma camponesa recebeu um soco no rosto. Bombas de efeito moral foram lançadas e disparos com armas de bala de borracha foram efetuados, causando ferimento nos camponeses. A Polícia Ambiental ainda apreendeu enxadas, facas, facões, foices e motosserras dos trabalhadores. Os dez camponeses detidos foram levados para a delegacia e horas depois liberados sem que fossem lavradas acusações contra eles.

Já no dia 07/12, um homem de 35 anos foi morto e outros dois foram baleados em um suposto confronto com camponeses em fazenda situada no Assentamento Flor do Amazonas. Uma caminhonete e uma moto foram queimadas e crivadas de balas.

A suspeita é de que os homens, que não tiveram os seus nomes divulgados pela polícia, sejam pistoleiros contratados pelo pretenso proprietário da fazenda, onde se situava o Acampamento Boa Sorte.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin