Reformas e infâmias

Quando pretendem deslegitimar uma manifestação massiva por reivindicações justas, os interessados normalmente apelam para esgrimir o uso de violência por parte dos manifestantes. E se tiverem um policial ferido como troféu, consideram que o triunfo é garantido.

Contando com isso, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, acudiu rapidamente ao Hospital Churruca, em Buenos Aires, onde se encontra internado um agente da repressão, o oficial Maximiliano Russo, ferido nas manifestações contra a reforma da previdência.  Macri estava tão entusiasmado com a situação que se atreveu a fazer uma piada de gosto duvidoso. O policial, que corre o risco de perder a visão de um dos olhos, ouviu do presidente que a esposa dele é tão bonita que pode ser vista com um só olho.

Mas não foi por isso que o governo e seus apoiadores se sentiram em uma situação fortemente constrangedora.

O programa “jornalístico” Buenos Dias América, do canal 24 da televisão argentina, quis reforçar nos dias seguintes às manifestações a “selvageria” dos manifestantes.

Para criar um clima fortemente emotivo, entrevistou ao vivo por telefone a mãe do policial ferido. Ela estava chorando, revoltada. O que parecia um prato cheio para a bancada, composta por sete jornalistas, foi um fiasco.

Um deles comentou que o policial, além da lesão do olho, tinha outras feridas, como se tivesse sido apunhalado.

A mãe do policial, entre soluços, contou que seu filho trabalha no departamento de roubos e furtos. E que no fim do expediente, no dia da manifestação, recebeu uma ordem superior de que tinha que ir à manifestação.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro