Venezuela: ianques e lacaios instigam intervenção

A- A A+

Recentemente reacendeu no cenário internacional o debate sobre uma intervenção militar estrangeira, promovida por uma “coalizão regional”, na crise política e social que sacode a Venezuela.

Amazonlog
Exército ianque em treinamento na Amazônia brasileira, junto a Peru, Brasil e Colômbia (Amazonlog)
Exército ianque em treinamento na Amazônia brasileira, junto a Peru, Brasil e Colômbia

Em artigo intitulado Intervenção militar estrangeira na Venezuela deve ser considerada, Ricardo Hausmann, ex-ministro do governo reacionário de Carlos Andrés Perez e hoje radicado no USA, defendeu abertamente a conformação de uma força militar para invadir a Venezuela e impor a guerra de rapina contra a nação venezuelana, como “talvez única saída” para a crise política, econômica e social.

A posição do lacaio ianque nitidamente expressa um dos planos dos USA para intervir contra a Venezuela e reestruturar sua semicolônia em crise e dirigida por um social-fascista, Nicolás Maduro, que se põe cada vez mais sob a área de influência do imperialismo russo (ainda que mantendo suas relações e redes de dominação com o imperialismo ianque). Esse, no entanto, não é o único. O establishment ianque está dividido sobre a questão.

Para reestruturar sua semicolônia recolocando a fração compradora no centro do aparelho Estatal e cessar o movimento no sentido da influência russa, os ianques, hoje, não têm outra solução que não promover uma imposição militar. Os representantes políticos da fração compradora na “oposição”, no entanto, estão divididos e pugnam mesmo entre si.

O social-fascista Maduro avança sobre a velha ordem demoliberal e, com uma Assembleia Constituinte corporativa, investe contra o parlamento, dominado pelos “opositores” da fração compradora da grande burguesia, mas mantém as relações de dominação com o imperialismo e a exploração e miséria sobre as massas - caminha para um regime tipicamente corporativo, fascista.

Soluções políticas não bastam para os ianques ou seus mais legítimos representantes da fração compradora da grande burguesia, vinculados diretamente às oligarquias financeiras.

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait