RN: Servidores impedem votação de pacotaço

Contrários aos pacotaços de Robinson Faria/PSD que atacam diretamente os servidores públicos, manifestantes incendiaram pneus e bloquearam a entrada de deputados e funcionários na Assembleia Legislativa, ao lado da sede da Prefeitura de Natal, no Rio Grande do Norte. Assim, impediram a sessão para a votação na manhã de 30 de janeiro.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Batizado pela politicalha de “RN Urgente”, o “pacote fiscal” é composto de 18 pontos, entre projetos de lei e propostas de emendas que cortam direitos há muito conquistados pelos trabalhadores, por meio da extinção dos adicionais por tempo de serviço e ataques aos direitos previdenciários.  

No estado, os servidores estão com o 13º salário de 2017 atrasado. Além disso, a folha de dezembro do ano passado de parte do funcionalismo só deve ser concluída no dia 06/02. Já o salário de janeiro não tem previsão de ser pago.

O pacotaço

Entre outros pontos e propostas do “pacote fiscal” está a mudança na alíquota da contribuição previdenciária de 11% para 14%, aumento que só não será aplicado aos servidores da área de repressão, como a polícia.

Trata-se de um ataque que busca tirar do suor das massas uma maior cota de exploração para frear a crise fiscal que os próprios gerentes do estado criaram, mirando principalmente o corte de direitos dos servidores públicos, que constituem um terço da mão de obra ativa do Rio Grande do Norte. As ilegalidades dos projetos de lei também incluem a extinção do Adicional por Tempo de Serviço (ADTS), sem respeitar direitos adquiridos, fim da paridade, fim do reajustamento que preserva o valor real dos benefícios previdenciários, desatrelação dos reajustes das pensões do Regime Próprio de Previdência Social  (RPPS/RN) às datas e aos índices do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), tratamento anti-isonômico na contribuição previdenciária e securitização de patrimônio imobiliário do estado afetado a uso específico.

Os deputados também iriam votar o projeto que cria um abono de 12,43% do décimo terceiro.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro