Chile: Democratas exigem justiça para Macarena Valdés

A- A A+

Cerca de 70 organizações das mais distintas localidades exigem justiça para o assassinato de Macarena Valdés, no Chile. Os democratas protestam e assinam uma carta exigindo que o Ministério Público (MP) assuma a investigação desse caso de homicídio, resultado do conflito territorial com a transnacional RP Global, que ocorreu na comuna de Panguipulli, na região de Tranguil.

Banco de dados AND
Manifestantes chilenos exigem justiça pelo assassinato de Macarena Valdés
Manifestantes chilenos exigem justiça pelo assassinato de Macarena Valdés

Macarena, que tinha 32 anos, foi assassinada em 22 de agosto de 2016. Ela era defensora intransigente dos direitos mapuche, do sagrado direito à terra e dirigia uma luta contra um projeto do monopólio transnacional RP Global na mesma região em que foi assassinada. Segundo a comunidade local, tal projeto visa construir uma hidrelétrica e ameaça a biodiversidade, trazendo impactos negativos.

De acordo com a versão divulgada pelo Serviço Médico Legal sobre a morte de Macarena, a ativista teria suicidado-se por meio de enforcamento. Entretanto, em entrevista concedida para a Rádio Universidad do Chile, o médico forense responsável pela autópsia de Macarena,  Luis Ravanal, desconsidera a primeira hipótese de sua morte. Ele disse que não havia ferimento em uma importante região do pescoço, onde seria decorrente do suposto auto-enforcamento.

Dada essa declaração, as organizações populares e a comunidade mapuche acreditam que a morte de Macarena foi efetuada por pistoleiros contratados pela RP Global Chile Energías Renovables.

A própria comunidade onde Macarena vivia denunciou que ela vinha sofrendo ameaças de morte efetuadas por capangas a serviço da RP Global. Além disso, os mapuche denunciam que tal hidrelétrica possui histórico de transgredir os seus direitos e o seu território original, que é de grande importância cultural, impondo uma série de instalações e restringindo a autonomia das massas mapuche sobre a terra.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait