A brilhante vida e obra de um materialista

A- A A+
 

Stephen Hawking: opus aeternum*

Stephen Hawking, físico britânico mundialmente conhecido, faleceu no dia 14 de março deste ano. Sua morte foi muito divulgada pelo monopólio dos meios de comunicação. A maioria dessas matérias abordavam os trabalhos científicos de Hawking e aspectos de sua vida pessoal, poucas foram as que abordaram os ideais políticos e filosóficos do grande cientista.

Ian Waldie
Stephen Hawking lendo o nome das vítimas da guerra imperialista no Iraque. Londres, 2004
Stephen Hawking lendo o nome das vítimas da guerra imperialista no Iraque. Londres, 2004

Hawking nasceu em 8 de janeiro de 1942 em Oxford, Inglaterra. Concluiu o doutorado na Universidade de Cambridge em 1966 com uma tese intitulada Propriedades dos universos em expansão. De 1979 a 2009 ocupou a cátedra de professor de Matemática na Universidade de Cambridge, que pertenceu a Isaac Newton.

A maioria de seus trabalhos versava sobre cosmologia teórica e gravidade quântica (unificação da mecânica quântica com a teoria da relatividade geral). Desenvolveu teorias buscando solucionar os principais problemas da teoria do Big Bang para o início do Universo. Dedicou-se também ao estudo dos buracos negros e propôs, em parceria com James Bardeen e Brandon Carter, as quatro leis da mecânica de buraco negro, uma analogia com as quatro leis da termodinâmica. Realizou cálculos em que demonstrou que os buracos negros deveriam, termicamente, criar ou emitir partículas subatômicas, o que ficou conhecido como radiação Hawking.

O cientista britânico também se preocupou em popularizar a ciência se esforçando em tornar acessível para o público em geral os complexos conceitos da cosmologia. Escreveu vários livros, dentre os quais se destaca Uma breve história do tempo, de 1988, traduzido para 35 idiomas e com mais de 10 milhões de cópias vendidas. Nesta obra, Hawking respondia a perguntas básicas sobre o início, desenvolvimento e fim do Universo. Além disso, escreveu juntamente com sua filha Lucy, a coleção de livros infantis George e a chave secreta em que contam histórias de aventura e ciência.

Em toda a sua produção intelectual, Stephen Hawking pautou a elucidação dos mistérios do Universo e o combate ao misticismo e ao criacionismo. Dizia não haver nenhum aspecto da realidade fora do alcance da mente humana. Numa entrevista, comparou a ciência e a religião nos seguintes termos: “Há uma diferença fundamental entre a religião, que se baseia na autoridade, e a ciência, que se baseia na observação e na razão. A ciência vai ganhar porque ela funciona. A religião crê nos milagres, mas estes não são compatíveis com a ciência”. E mais adiante dizia: “Deus não tem mais lugar nas teorias sobre a criação do Universo devido a uma série de avanços no campo da Física”.

Hawking foi um homem integrado ao seu tempo e era extremamente politizado. Na juventude participou das jornadas dos jovens britânicos contra a Guerra do Vietnã. Era um ferrenho opositor da guerra imperialista no Iraque.Em 2004, participou do protesto na Trafalgar Square em Londres e em seu discurso disse ao público:“Esta guerra [do Iraque] tem como base duas mentiras. A primeira é que estávamos em perigo pelas armas de destruição em massa, e a segunda é que o Iraque tenha sido o culpado do 11 de setembro”. Neste mesmo ato, Hawking leu o nome das pessoas mortas no conflito e classificou de crime de guerra a tragédia das famílias iraquianas. Em declarações recentes classificou de abominável a guerra na Síria.

Recusou o título de Sir oferecido pela rainha Elizabeth II por, dentre outras coisas, discordar das políticas internas e externas do Reino Unido. Suas críticas se concentravam principalmente contra o investimento em empreendimentos bélicos e à cessão ao lobby das corporações de armamentos.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

PUBLICIDADE

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!
#
#
#

ONDE ENCONTRAR

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja