Estado laico? O que é isso?

A- A A+

De 2009 a 2011, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) teve a composição mais pia de sua história. Além de Ives Gandra Martins Filho, faziam parte dela os também catolicíssimos Milton Nobre (representante dos tribunais estaduais) e Cezar Peluso, que presidia o Supremo Tribunal Federal (STF) e, por consequência, o conselho. Morgana Richa, que representava os tribunais do trabalho, é menos afeita a hóstias, mas seu cunhado e já então governador do Paraná, Beto Richa/PSDB, tinha, à época, membros importantes do Opus Dei em seu staff.

No mesmo período, registraram-se algumas iniciativas para tirar crucifixos das paredes de tribunais e outros órgãos do Estado. Peluso, então, designou Gandra Filho para organizar, em nome e com verba do CNJ, um seminário intitulado “O Estado laico e a liberdade religiosa”, realizado em junho de 2011.

Entre os seis conferencistas, havia dois membros notórios do Opus Dei: Gandra Filho e o padre Rafael Stanziona de Moraes. Um terceiro, o jurista português Jorge Miranda é, no mínimo, próximo à organização.

Outro palestrante, Massimo Introvigne, foi apresentado no material de divulgação do evento como “representante da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) para a luta contra o racismo, a xenofobia, a intolerância e a discriminação religiosa”. À época, era o principal dirigente da Aliança Católica, braço italiano da TFP (Tradição, Família e Propriedade), política e teologicamente situada à direita do Opus e de qualquer outra coisa dentro ou fora da Igreja Católica.

Introvigne é autor de livros em que apresenta a secularização da vida social e cultural como fonte dos males da Europa e atribui o volume e a repercussão das denúncias de violência sexual de padres contra crianças a um complô contra a igreja. É também dirigente do Centro de Estudos Sobre Novas Religiões (Cesnur), sediado em Turim e dedicado a defender seitas como a Moon e a Cientologia, em cujo favor depôs num tribunal italiano. Introvigne considera todas elas (inclusive o Opus Dei) vítimas de falsas acusações e nega, contra milhares de testemunhos de ex-membros, que façam lavagem cerebral. Em defesa do Opus, publicou vários artigos e dois livros: Gli Illuminati e il Priorato di Sion (2005) e Il simbolo ritrovato (2010), pretensas refutações aos romances O código Da Vinci e O símbolo perdido, de Dan Brown.

tag:

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait