Talibã aniquila 72 pró-invasores e conquista posições

A- A A+
 

O Exército afegão pró-ianque, dirigido pelos capitulacionistas, sofreu grandes baixas durante um assalto realizado por combatentes da Resistência Nacional vinculados ao Talibã, na província de Kunduz. O ataque foi executado por uma unidade especial do Talibã e foi veiculado pela imprensa no dia 12 de julho.

Os talibãs lançaram seu ataque contra uma base militar e postos de controle de segurança no distrito de Dasht-i-Archu durante à noite.

“Uma base militar e 15 postos de controle inimigos foram invadidos, 72 títeres foram aniquilados e outros ficaram gravemente feridos, além da destruição de quatro tanques e quatro caminhonetes militares”, afirmaram.

A província de Kunduz é hoje o foco principal das operações talibãs há pelo menos quatro anos, sendo bastante disputada dada sua proximidade com a fronteira do Paquistão. A cidade de Kunduz, capital da província, já foi retomada pelos combatentes em 2015, ficando em seu controle por algumas semanas. Hoje, os combatentes têm sob seu controle um distrito e há feroz disputa em outros seis.

As unidades especiais dos talibãs, denominadas Unidades Vermelhas, têm atuado principalmente em assaltos a postos militares fortificados do Exército colonial dirigido pelos capitulacionistas, que colaboram e se submetem à ocupação do imperialismo ianque.

O distrito de Puli Mohmand de Dashti-Archi, próximo a Takhar, na província de Lunduz, também foi alvo da nova ofensiva do Talibã. O próprio governo capitulacionista reconheceu que mais de 32 soldados foram aniquilados e outros 20 foram feridos. Uma grande quantidade de armas e apetrechos foram capturados.

Os êxitos da Resistência Nacional têm se multiplicado. Tropas talibãs retomaram os territórios do condado de Khwaja Ghar, na fronteira com o Tajiquistão. Os condados vizinhos Dashti Kala, Yangi Kala e Dargad estão já sendo objeto de disputa entre os combatentes e os capitulacionistas.

Os avanços são incontíveis neste momento, apesar dos bombardeios realizados sistematicamente pelas forças invasoras, principalmente as Forças Armadas ianques.

Após tomar conhecimento da ofensiva da Resistência, soldados e militares das forças pró-imperialismo ianque abandonaram seus postos na fronteira com o Tajiquistão.

O regime títere sediado em Cabul, colaborador do imperialismo ianque, solicitou ao USA e à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) socorro imediato para deter o avanço da Resistência Nacional.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

PUBLICIDADE

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!
#
#
#

ONDE ENCONTRAR

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja