Talibã aniquila 72 pró-invasores e conquista posições

O Exército afegão pró-ianque, dirigido pelos capitulacionistas, sofreu grandes baixas durante um assalto realizado por combatentes da Resistência Nacional vinculados ao Talibã, na província de Kunduz. O ataque foi executado por uma unidade especial do Talibã e foi veiculado pela imprensa no dia 12 de julho.

Os talibãs lançaram seu ataque contra uma base militar e postos de controle de segurança no distrito de Dasht-i-Archu durante à noite.

“Uma base militar e 15 postos de controle inimigos foram invadidos, 72 títeres foram aniquilados e outros ficaram gravemente feridos, além da destruição de quatro tanques e quatro caminhonetes militares”, afirmaram.

A província de Kunduz é hoje o foco principal das operações talibãs há pelo menos quatro anos, sendo bastante disputada dada sua proximidade com a fronteira do Paquistão. A cidade de Kunduz, capital da província, já foi retomada pelos combatentes em 2015, ficando em seu controle por algumas semanas. Hoje, os combatentes têm sob seu controle um distrito e há feroz disputa em outros seis.

As unidades especiais dos talibãs, denominadas Unidades Vermelhas, têm atuado principalmente em assaltos a postos militares fortificados do Exército colonial dirigido pelos capitulacionistas, que colaboram e se submetem à ocupação do imperialismo ianque.

O distrito de Puli Mohmand de Dashti-Archi, próximo a Takhar, na província de Lunduz, também foi alvo da nova ofensiva do Talibã. O próprio governo capitulacionista reconheceu que mais de 32 soldados foram aniquilados e outros 20 foram feridos. Uma grande quantidade de armas e apetrechos foram capturados.

Os êxitos da Resistência Nacional têm se multiplicado. Tropas talibãs retomaram os territórios do condado de Khwaja Ghar, na fronteira com o Tajiquistão. Os condados vizinhos Dashti Kala, Yangi Kala e Dargad estão já sendo objeto de disputa entre os combatentes e os capitulacionistas.

Os avanços são incontíveis neste momento, apesar dos bombardeios realizados sistematicamente pelas forças invasoras, principalmente as Forças Armadas ianques.

Após tomar conhecimento da ofensiva da Resistência, soldados e militares das forças pró-imperialismo ianque abandonaram seus postos na fronteira com o Tajiquistão.

O regime títere sediado em Cabul, colaborador do imperialismo ianque, solicitou ao USA e à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) socorro imediato para deter o avanço da Resistência Nacional.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin