USA ordena retirada de metade de suas tropas do Afeganistão

A- A A+

Órgãos da imprensa internacional anunciam que o Alto Comando das forças ianques está planejando a retirada de cerca de 7 mil soldados do USA do território afegão. Atualmente o contingente militar ianque possui cerca de 14 mil soldados, a maior parte da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, segundo fontes oficiais.

Banco de dados AND
Após ser trucidado pela Resistência, USA reconhece derrotas e retira metade das suas tropas
Após ser trucidado pela Resistência, USA reconhece derrotas e retira metade das suas tropas

A imprensa imperialista ianque afirma que a decisão é vista como “semelhante a uma derrota” pela maior parte dos setores das Forças Armadas e do parlamento do USA. Segundo fontes da CNN, o ex-secretário de defesa do USA, James Mattis, teria também protestado contra a retirada do Afeganistão, assim como o fez mais publicamente sobre a decisão de retirada dos ianques da Síria anunciada por Trump ainda em dezembro de 2018. O senador republicano e ex-aliado de Trump, Lindsey Graham, também considera que a retirada significa uma derrota política para os ianques. Oficialmente, 22 militares do USA e 5,6 mil soldados afegãos pró-ocupação morreram na guerra entre os anos de 2017 e 2018, segundo o órgão de imprensa ianque, New York Times. 

No dia 2 de novembro de 2018, o general ianque responsável pelas operações da Otan, Austin Scott Miller, anunciou que “não podemos vencer essa guerra”, referindo-se à ocupação que fará 18 anos em 2019. Tão medíocres são os resultados da intervenção ianque na Ásia Central que, no mesmo dia 20/12 em que foi vazada a informações dos planos da retirada ianque do Afeganistão, o Departamento de Defesa do USA citou como parte de suas vitórias o início de negociações com representantes do Talibã (principal grupo da Resistência Nacional), quando o objetivo inicial da invasão seria justamente derrubar o regime chefiado pelo Talibã, considerado “terrorista” pelo USA.

As negociações, encerradas em 24 de dezembro, deram resultados inconclusivos. Em nota postada no site oficial do Talibã, a Resistência afegã desconsiderou quaisquer conversas com o regime que chama de fantoche e que este tem “o sangue de milhares de compatriotas nas suas mãos”. A nota do Talibã afirma também que a responsabilidade em trazer a paz ao Afeganistão jaz apenas em “ações sérias” por parte do USA, começando por exemplo, com a “retirada de todas as tropas estrangeiras” do Afeganistão.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia
 

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja