Bolsonaro diminui salário mínimo previsto

No primeiro decreto do novo governo reacionário e vende-pátria do Brasil semicolonial, o salário mínimo foi fixado em R$ 998,00 para todo o ano de 2019. O decreto fixa o salário mais baixo do que o previsto pelo orçamento do governo anterior (de Temer), que havia sugerido o valor de R$ 1006,00, considerando-o aplicável.

Gráfico: desvalorização do salário mínimo

O decreto foi assinado em 1º de janeiro, logo após a cerimônia de posse de Bolsonaro e seu vice, o general Hamilton Mourão.

Essa é a primeira medida desferida contra os direitos do povo pelo governo militar de Bolsonaro e asseclas, mas certamente não será a única. Bolsonaro ganhou a simpatia dos banqueiros, latifundiários, empreiteiros e do “mercado” prometendo diminuir os direitos do povo, baixar salários, precarizar, privatizar e manter sucateado os serviços públicos (educação, saúde, habitação etc.), enquanto ataca e reprime as organizações classistas, tudo para garantir fabulosos lucros para estes setores.

O salário mínimo brasileiro real, ou seja, o seu poder de compra, é um dos mais baixos do mundo. Ele é inferior que o da China, da Argentina, Colômbia, Peru e até do Panamá. O salário mínimo do brasileiro é equivalente a um quinto do salário da Alemanha, por exemplo.

Além disso, pelo menos 80% da população brasileira vive com um salário per capita inferior a dois salários mínimos mensais, segundo o Fórum Nacional pela Redução da Desigualdade Social. O Brasil é ainda o décimo país mais desigual do mundo, segundo o Relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro