A relação do clã Bolsonaro com bandidos paramilitares

Um dos grupos é suspeito de executar a vereadora Marielle Franco

No mês de janeiro foi veiculada por diversos meios de comunicação que o gabinete do ex-deputado estadual e atual senador Flávio Bolsonaro/PSL, filho do atual gerente de turno Jair Bolsonaro, teria empregado, até novembro de 2018, a esposa e a mãe de Adriano Magalhães da Nóbrega, o capitão da PM apontado pelo Ministério Público como um dos principais nomes do “Escritório do Crime”, organização suspeita de assassinar a vereadora Marielle Franco/Psol.

Divulgação da Polícia Civil
Adriano Magalhães, acusado de ser chefe de milícia, teve família empregada em gabinete de Flávio Bolsonaro (foto: Divulgação da Polícia Civil)
Adriano Magalhães, acusado de ser chefe de milícia, teve família empregada em gabinete de Flávio Bolsonaro

Junto a esta revelação, foi recordado que Flávio Bolsonaro já fez homenagens a Adriano Magalhães, como em 2003, quando, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), em moção honrosa, o então deputado estadual escreveu que “o policial militar [Adriano] desenvolvia sua função com dedicação e brilhantismo”.

Já seu pai, Jair Bolsonaro, no ano de 2003, também parabenizou a prática dos grupos paramilitares (chamados coloquialmente de “milícias”) e disse que seriam “muito bem-vindos” ao Rio de Janeiro. “No que depender de mim, terão todo o meu apoio.”, instigou. Comentando a “CPI das Milícias”, disse ainda, amenizando: “Querem atacar o miliciano, que passou a ser o símbolo da maldade.”.

Dois anos depois, em 2005, Flávio Bolsonaro aprovou que Adriano recebesse a Medalha de Tiradentes, considerada a principal “honraria” do estado do Rio. Em 2007, como se não bastasse, contratou a esposa de Adriano, Daniele Mendonça da Costa da Nóbrega, como assessora parlamentar.

Foi ainda neste ano de 2007 que Flávio Bolsonaro (o mesmo que há anos esbraveja “contra a corrupção” e por “punições mais rigorosas” contra infratores da lei, assim como seu pai e irmãos) disse as seguintes palavras: “A milícia nada mais é do que um conjunto de policiais, militares ou não, regidos por uma certa hierarquia e disciplina, buscando, sem dúvida, expurgar do seio da comunidade o que há de pior: os criminosos”. Nada disse sobre o controle e taxação que estas exercem sobre os comércios locais, extorsão, assassinatos de trabalhadores descontentes ou por aluguel e o tráfico de drogas que, por vezes, chegam a gerir em seus territórios.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro