Papagaio Sabido canta música brasileira

A- A A+

Em atividade desde 2013, a banda carioca Papagaio Sabido reúne obras do cancioneiro nacional, dentro do universo do samba, choro, bossa-nova, MPB e forró, revendo importantes autores e construindo sua identidade através do jeito próprio de interpretá-los e de composições autorais. Formado por jovens oriundos de diversas partes do Rio de Janeiro, o grupo trabalha na divulgação do seu álbum, Revoada, uma mistura de diversos ritmos brasileiros.

Banco de dados AND
Papagaio Sabido divulga seu Álbum Revoada, lançado em 2017
Papagaio Sabido divulga seu Álbum Revoada, lançado em 2017

— Começamos com a proposta de formar um grupo de choro através de um convite para apresentações semanais no Arco do Teles, próximo à Praça XV, no centro do Rio. Alguns integrantes faziam parte de um outro grupo que parou de se apresentar no local. Fizemos alguns shows e ainda não tínhamos um nome, queríamos que essa busca partisse do choro, que representasse esse gênero, já que ele também nos uniu — conta Thiago Gama, integrante do grupo.

O Arco dos Teles é uma parte do centro do Rio onde tem acontecido um forte movimento musical, muito choro, samba, xote etc. Um lugar boêmio da cidade, com vários bares e grande circulação de pessoas de segunda a sábado.

— Tivemos a ideia de separar vários títulos das obras dos chorões clássicos e partimos para a escolha. "Papagaio Sabido" é uma composição pouco conhecida do Pixinguinha, em parceria com o C. Araújo, e parece que no meio de tantos nomes, esse nos escolheu. O Diego Moreira (voz e violão), que gosta de desenhar, imediatamente pensou em uma figura, uma mistura de um papagaio com uma clave de sol, que virou o símbolo do grupo. Foi uma certeza — relata Thiago.

— Na época, não tínhamos canções autorais, só reproduzíamos os sons existentes, à nossa maneira. Desde que começamos, colocamos a nossa identidade nas músicas, ela não saia da mesma maneira que chegava. Não tentávamos copiar, mas sim, colocar para fora o que sentíamos a partir dela, fazendo com que ganhasse elementos pessoais que se misturavam e repassavam uma sonoridade um pouco diferente da canção original — expõe.

— A interpretação já era de cada um, por consequência, naturalmente, isso trouxe uma identidade, fez muito sentido, “somos o papagaio”, aquele que reproduz o que ouve à sua maneira, e o público se identifica com isso. Como se não fosse suficiente para nos sentirmos representados pelo nome, além disso, o papagaio também é uma ave que representa o Brasil, e a música brasileira, de um modo geral, é o foco comum do grupo — explica.

O Papagaio Sabido é formado por: Thiago Gama (bandolim e cavaquinho), Alan de Deus (voz e percussão), Diego Moreira, (voz e violão), Guilherme Pimenta, (violino), Pedro Santos (voz e pandeiro), Thiago Oliveira (bateria).

— Gostamos também de outros estilos que não são, propriamente dito, daqui, como: rock, o jazz, o blues, entre outros tantos. Temos a noção de que nos permitimos essa influência também, mas o nosso interesse principal está na diversidade cultural do lugar onde vivemos — fala Thiago.

— Está na riqueza rítmica que a influência africana nos proporciona, está na composição harmônica/melódica, que começou a sua evolução lá atrás, com a chegada de instrumentos trazidos da Europa, se misturou ao nosso jeito e atingiu um grande momento no século passado, com um reconhecimento internacional que ainda se sustenta. Está na intenção poética de retratar o nosso dia a dia através de costumes regionais — continua.

— Enfim, vimos que a representatividade do nosso nome se tornou maior do que podíamos imaginar na ocasião da escolha. Com o passar do tempo percebemos, na prática, que um nome pode ter a força de trazer a curiosidade e o interesse na bagagem — acrescenta.

Influências e trabalhos

Partindo da música brasileira, principalmente do choro, samba, forró e suas vertentes, o Papagaio Sabido é uma mistura das influências de seus integrantes.

— Entre algumas influências estão: Pixinguinha, Jacob do bandolim, Waldir Azevedo, Luiz Gonzaga, Noel Rosa, Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Assis Valente, Chico Buarque, Edu Lobo Djavan, Gonzaguinha, Cartola, Adoniran Barbosa, Paulinho da Viola, João Nogueira, Paulo César Pinheiro, Dona Ivone Lara, Clara Nunes, Moreira da Silva, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Novos baianos, Dominguinhos, Sivuca, Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Elis Regina, João Bosco, Aldir Blanc, Belchior, entre tantos outros — enumera Thiago.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja