Forças pró-USA torturam crianças

A- A A+
Pin It

Ao menos 1,5 mil crianças, majoritariamente oriundas do Iraque e da Síria, estão oficialmente detidas por militantes curdos e tropas de repressão do velho Estado iraquiano. O motivo dos sequestros é uma suposta filiação das mesmas com grupos como o Estado Islâmico da Síria e do Iraque (EISI). A informação surge de uma denúncia da organização internacional Human Rights Watch, que contou inclusive com relatos de crianças que foram libertadas após sessões de tortura.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia
 

Órgãos de comunicação sob as duas bandeiras negam as acusações, ao passo que assumem possuir crianças como prisioneiras e “com os mesmos direitos de prisioneiros adultos” – estes que, por sua vez, são inegavelmente sequestrados e torturados nas batalhas de agressão contra nações do Oriente Médio e seus grupos de Resistência Nacional.

Dezenas de caminhões estão partindo diariamente de regiões recentemente perdidas pelo EISI carregados de crianças, adolescentes e de suas mães em direção a campos de triagem e de detenção curdos e iraquianos, cuja existência é apoiada pelo USA.

Torturas forjam confissões

Entre 29 crianças entrevistadas e que haviam sido libertadas de campos de aprisionamento em Ebil, no Curdistão e em Bagdá, ambos no Iraque, ao menos 19 relataram torturas que objetivavam a obtenção de confissões. Parte das crianças alegaram que jamais haviam participado dos atos pelos quais foram aprisionadas e, em alguns casos, até mesmo condenadas; outra parcela revelou que por vingança ou mesmo obrigatoriedade imposta pela ideologia atrasada de tais grupos, chegaram a ter ligações com os militantes da Resistência.

As crianças que haviam sido apreendidas e que não tinham o que confessar citaram documentos de confissões escritos por membros da Asayish, a polícia curda, que eram repassados às mesmas apenas com o fim de que os assinassem ou marcassem suas digitais.

Os métodos de tortura descritos incluem espancamentos, utilização de canos e barras de ferro pelo corpo, descargas elétricas e amarração de membros em posições de estresse durante os interrogatórios.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja