Peru: Governo recua em projeto de mineração

Após dez anos de luta dos camponeses na região de Arequipa contra o projeto de mineração conhecido como “Tia Maria” e após meses de protestos intensos, greves e bloqueios ao porto de cobre da região, o Ministro de Energia e Minas do Peru recuou e suspendeu por 120 dias a licença para a construção do projeto.

EFE Stringer
Camponeses marcham contra o projeto Tia Maria (foto: EFE Stringer)
Camponeses marcham contra o projeto Tia Maria

A suspensão temporária ocorre semanas após o governo de Martín Vizcarra ter autorizado o emprego por 30 dias das Forças Armadas peruanas contra as greves, a paralisação do porto de Matarani e os cortes de rodovias promovidas pelos camponeses. Mesmo com tal aparato de guerra, o governo, impotente diante da decisão e da organização dos camponeses, foi obrigado a recuar.

O projeto do monopólio Southern Copper seria um investimento de 1,2 bilhão de euros que extrairia 120 mil toneladas de cobre a cada ano, sobretudo destinados à China. Apesar da conquista pontual da população local – que se opõe à construção da mineradora – os camponeses da região exigem a suspensão completa do projeto.

Os camponeses rejeitam tal projeto porque, dentre outras razões, ele tornaria inviável a produção nas terras próximas devido aos níveis elevados de poluição do solo e da água utilizados no cultivo. As mineradoras, além disso, tendem a expandir a extração e impõem sério risco de expropriar as terras dos camponeses no entorno.

Reconhecendo a combatividade dos camponeses, o governo e a empresa, desde a proposta do projeto de mineração, “garantiram” à população local que nada seria construído sem a autorização dos moradores da localidade e que, se fosse construída, não poluiria a região, onde os camponeses sobrevivem e trabalham.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro