RO: Exército e PM despejam camponeses

O Exército reacionário, a Força Nacional e a Força Tática da Polícia Militar (PM) expulsaram 400 famílias camponesas do Acampamento Boa Esperança, em Porto Velho, no dia 10 de setembro.

Despejo contou com dois caminhões do Exército reacionário; famílias não tiveram nenhum apoio do velho Estado
Despejo contou com dois caminhões do Exército reacionário; famílias não tiveram nenhum apoio do velho Estado

A denúncia feita pelos camponeses relata que os militares agiram com violência e atearam fogo na área, o que foi gravado em vídeo pelos próprios trabalhadores. Os policiais também prenderam quatro camponeses que há anos relatam perseguição política.

“Olha só isso [refere-se à quantidade de policiais]. Mas nós vamos voltar!”, afirmou um camponês, otimista, enquanto saia do acampamento, em vídeo enviado à redação de AND.

A área ocupada é um terreno na região de Rio Pardo e seria entregue pelo governo federal ao governo estadual como compensação pela construção de uma hidrelétrica. A área onde fica o acampamento está em litígio há anos, e permanece parada por falta de uma definição quanto a seus títulos e regularização.

Um dos camponeses presos é Delson Pinto de Souza, que possui títulos legais sobre a área Boi D’Água, onde fica o acampamento Boa Esperança. Ele próprio permitiu que os camponeses construíssem o acampamento dentro de sua terra, mas vem sendo perseguido por grileiros da região, e que já foi ameaçado por agentes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para que deixasse sua terra. Além dele, foram presos um homem chamado Dionísio, outro chamado Reginaldo e uma camponesa, Jaqueline.

Em um áudio enviado à Redação de AND, um camponês vizinho do acampamento, revoltado com a situação, protestou: “Eu fico preocupado com essas coisas porque a gente precisa de tanta coisa e o que a gente escuta é a choradeira de que não tem dinheiro. Para a repressão tem dinheiro, mas não tem dinheiro para ajudar na [pequena] agricultura, não tem dinheiro para regularização fundiária. Não entendo isso!”.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

O advogado que tem acompanhado juridicamente as centenas de famílias do acampamento, Ermogenes de Souza, foi acusado e processado como mentor da invasão simplesmente por ter cuidado seu papel profissional. Segundo ele, todos foram levados para uma escola em Rio Pardo, após serem despejados, sem saber como se alimentarão.

Além dos aparatos citados, participaram do despejo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o ICMBio.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin