Em total abandono

A- A A+

No dia a dia, frenético como é típico de uma metrópole, as coisas tendem a perder sua real dimensão quando as observamos. É preciso olhar atento, observar criticamente. Todos que andam pelo Centro do Rio de Janeiro e observam atentamente vêem, como eu vi, uma cidade economicamente devastada. O número de pequenos e médios comércios que fecharam, especialmente nessa área da cidade, aumentou, e isso pode ser empiricamente constatado. Cresce também o número de famílias que moram nas ruas.

Ellan Lustosa / AND
Às dezenas, pessoas esperam em fila para conseguirem comida gratuita. Centro do RJ
Às dezenas, pessoas esperam em fila para conseguirem comida gratuita. Centro do RJ

É o resultado da fórmula: por um lado, famílias inteiras desempregadas e obrigadas à informalidade, sem uma renda estável e, por outro lado, os empregados submetidos a um salário real cada vez mais baixo e que tende a diminuir, visto a enorme concorrência imposta pelo desemprego. As pessoas, amedrontadas pelo fantasma cada vez mais real da miséria absoluta, guardam o pouco dinheiro que conseguem, quando conseguem, e acabam consumindo muito menos do que necessário para “aquecer” a economia. Enquanto isso, bancos têm lucros recordes; o latifúndio, idem. Essa sociedade demonstra-se perversa: a miséria e quebradeira dos trabalhadores, pequenos e médios proprietários crescem justamente porque cresce a riqueza abundante de uma minoria absoluta. É chegada a hora de mudá-la.

Ellan Lustosa / AND
O número de comércios fechados no centro da cidade é assustadoramente alto
O número de comércios fechados no centro da cidade é assustadoramente alto

É um país onde o modelo econômico está jogando-o num poço sem fundo. Isso cala o presidente fascista Bolsonaro com seu palavreado de “estabilidade econômica” e o governador sádico e admirador da violência de Estado contra comunidades pobres. A solução para essa situação passa por fora. O povo saberá encontrá-la.

Ellan Lustosa / AND
Homem dorme em frente à Casa Cruz, tradicional papelaria do Rio
Homem dorme em frente à Casa Cruz, tradicional papelaria do Rio

Ellan Lustosa / AND
O número de comércios fechados no centro da cidade é assustadoramente alto

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja