Índia: Polícia prende professor por suposta ‘ligação’ com maoistas

A- A A+

 A polícia do estado de Telangana prendeu um professor associado da Universidade de Osmania, sob a acusação de ter “ligações com maoistas”; a prisão ocorreu na capital do estado, em Hyderabad, no dia 18 de janeiro. A prisão do professor Chintakindi Kasim provocou protestos de estudantes e ativistas democráticos e populares. 

Kasim é professor associado no departamento de Telugu e membro da Associação dos Escritores Revolucionários. A Associação elegeu-o recentemente como secretário. Ele também é o editor da publicação Nadustunna Telangana (Telangana Contemporânea). 

A polícia diz que ele é acusado em um caso que foi registrado sob a Lei de Atividades Ilícitas (Prevenção) na delegacia de polícia de Mulugu em 2015, e alega que ele tem trabalhado como o “organizador de uma frente dirigida pelos maoistas” no estado de Telangana. 

Em contrapartida, a esposa do professor preso, chamada Snehalatha, afirma que a polícia invadiu e saqueou a casa deles na madrugada: “Eles arrombaram as portas e conseguiram acesso à nossa casa. A polícia saqueou a casa inteira durante a busca”, disse ela à imprensa local. 

Snehalatha exigiu que o governo do estado encerre o caso e liberte seu marido. O professor Chintakindi era conhecido por levantar a voz contra o desemprego, a discriminação e outras questões políticas e sociais em Telangana. 

O Comitê de Ação Conjunta Telangana (T-JAC) descreveu a prisão do professor como “um ato fascista do governo do primeiro-ministro do estado, K Chandrasekhar Rao”; já o Fórum Contra a Repressão de Telangana e o Comitê Estadual de Liberdades Civis condenaram a prisão e exigiram a libertação imediata de Kasim e outros. 

A prisão de Kasim faz parte da onda de prisões de intelectuais populares, diante da incapacidade do governo de turno indiano de esmagar a guerra popular e a Revolução Indiana no país. No ano de 2017, o professor democrata G.N. Saibaba foi preso e condenado à prisão perpétua acusado de ligação com os maoistas. 

Em 2019, Varavara Rao, poeta e intelectual do povo foi preso pela polícia de Maharashtra sob a acusação de “ligações maoistas”. Da mesma forma, o também professor K. Jagan foi preso pela polícia do distrito de Jogulamba Galdwala. Antes deles, a polícia de Telangana havia prendido, desde outubro de 2019, 17 pessoas acusadas de “associação” com o Partido Comunista da Índia (Maoista). 

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira