Mali: Ataques contra militares da ONU

No dia 15 de outubro, um ataque contra as forças da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização do Mali (Minusma), da “Organização das Nações Unidas” (ONU), deixou um diplomata egípcio morto e um capacete azul, como são chamados os militares da ONU, gravemente ferido. O episódio ocorreu na região de Kidal, no Norte do Mali.

Outro ataque se deu em Timbuktu, uma das principais cidades do país africano, onde pelo menos um militar das forças de “paz” da ONU foi ferido em uma ação realizada contra uma instalação militar integrada da Minusma.

Os membros do Conselho de Segurança da ONU ameaçaram retaliar os ataques contra a Minusma por meio da imposição de sanções, como é de praxe da instituição imperialista.

Estabelecida em 2013, a Missão da ONU mantém mais de 13 mil soldados em todo o país, junto de uma coalizão militar imperialista encabeçada pelo imperialismo francês que soma mais outros 4,5 mil soldados. Sua atuação colonialista se acirra principalmente na região Norte do Mali, onde grupos separatistas atualmente ligados a Al-Qaeda rivalizam com elas pelo controle territorial. Desde sua instituição, mais de 200 soldados da Minusma já foram mortos em ações militares desses grupos, em resposta contrária à presença de tropas estrangeiras na região.

A questão do Mali, no entanto, trata-se de um problema de escala multinacional, pois as tropas estrangeiras mobilizadas para a situação desse país estão dispersas em outras quatro nações na região, Burkina Faso, Mauritânia, Níger e Chade, por meio da chamada Operação “Barkhane”, que ocorre desde 2014.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin