Brasileiro, diga não à venda da Amazônia!!!

A- A A+

A Amazônia é o maior patrimônio em riquezas naturais que o planeta possui, e na sua maior parte encontra-se em território brasileiro. Em verdade, nada se equipara a ela em termos de florestas, rios, fauna e diversidade em minérios, inclusive petróleo e gás natural. Praticamente metade do nosso território se encontra em meio a essa grande Região, no conjunto dos nove estados que a ocupam, a saber: Pará, Amapá, Roraima, Amazonas, Acre, Rondônia, Mato Grosso (parte), Tocantins (parte) e Maranhão (parte).

Em função das riquezas que se conhecem e de outras que certamente serão encontradas, várias foram as tentativas entre países para assumir o seu controle e mesmo internacionalizá-la. Todas evidentemente fracassadas.

Mais recentemente, no entanto, interesses nesse sentido tomaram outras frentes na tentativa de obtenção de sucesso. Tanto assim que ao final do governo Fernando Henrique Cardoso surgiu um Projeto de Lei, de nº 7.492 /02, tendo como origem o Ministério do Meio Ambiente, propondo a ‘concessão’ sob a formas de leilões de grandes áreas de florestas para exploração madeireira por empresas nacionais, estrangeiras e consorciadas. Denúncias feitas na imprensa e no próprio Congresso Nacional acabaram inviabilizando a tentativa, por iniciativa do governo Luís Inácio Lula da Silva (julho de 2003).

Estarrecedoramente, no entanto, ressurge na Câmara dos Deputados, neste fevereiro de 2005, outro Projeto, de nº 4.776/05, para apreciação e votação, em regime de urgência, com idêntico conteúdo e propondo o mesmo tipo de ‘concessões’, sob a forma de leilões aos mesmos grupos transnacionais por prazos que podem atingir até 60 anos.

Isso mesmo, 60 anos! Incluindo favorecimentos e facilidades quase inimagináveis, como no caso da possibilidade de terceirização das atividades e financiamentos, tendo por garantia a hipoteca da própria floresta. E que, para este caso, passa a constituir-se em bem privado e não mais da União, Estados e Municípios, por incrível que possa parecer.

Fácil verificar que, agora, os mesmos traidores da pátria, vários deles ainda se encontrando no Ministério do Meio Ambiente (governo Lula), além da entrega das chamadas “Florestas Nacionais”, pretendem não só a globalização da Amazônia como a sua internacionalização oficial, como pode ser comprovado pela simples leitura do Projeto de Lei ( nº 4.776/05); com ênfase aos Artigos 3/4/5/8/23/ 28/30/35 e 51, e que ao final ferem acintosamente a nossa Soberania. Por tudo, a grande verdade é que nunca se imaginou que a Amazônia pudesse ser oferecida aos grandes interesses e capitais externos por grupos de cidadãos que ainda se dizem defensores de nossos interesses.

Brasileiro, posicione-se! Faça chegar o seu repúdio a sua associação, à imprensa, à Câmara e ao Senado Federal, enquanto é tempo!!!

Movimento em defesa da Amazônia (Brasília, 28.02.2005)

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja