RO: Latifúndio assassina e ameaça para tentar aterrorizar a luta pela terra

No dia 27 de abril, o comerciante Roberto Pereira da Silva Pandolfi, de 34 anos, foi assassinado por um bando armado sob ordens do latifúndio por volta de 9 horas da manhã em Vila Jirau, na região de Nova Mutum-Paraná, norte de Rondônia.

Roberto trabalhava carregando um veículo com materiais de seu comércio, uma pequena loja de materiais de construção, quando o assassino o executou com vários projéteis na frente de sua esposa, os tiros atingiram a cabeça e o tórax do trabalhador.

De acordo com nota publicada pela Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental (LCP), latifundiários ladrões de terra da União já estavam usando seus porta-vozes há vários dias para justificar os assassinatos que já cometeram e outros que estão planejando cometer.

A LCP se solidariza com a família de Roberto, a esposa e uma filha, e afirma: “Esses assassinos covardes acham que vão conseguir parar a luta pela terra com o terror dos assassinatos, mas estão enganados. Nenhuma forma de terror mata a fome dos necessitados, muito pelo contrário. O terror que estão fazendo vai aumentar a fúria dos camponeses na busca por justiça”.

 

Outros assassinatos a mando do latifúndio

Conforme noticiado pelo AND, no dia 15/04, um camponês da área Tiago dos Santos chamado Jerlei foi assassinado por pistoleiros a mando do latifúndio na linha 29 em frente a fazenda do Zezin Marafaia, em Nova Mutum-Paraná, Rondônia.

A região tem sido palco de intensos conflitos agrários. Camponeses em 2020 formaram ocupações em terras não-produtivas e fundaram acampamentos, como o Acampamento Tiago dos Santos, onde deu-se início um novo capítulo da sanha do latifúndio que promove em conluio com velho Estado uma série de perseguições e assassinatos aos camponeses e apoiadores da luta pela terra, diante da grandiosa resistência das famílias acampadas.

 

Moradora de área vizinha é ameaçada

Uma camponesa, moradora da região vizinha ao Acampamento Manoel Ribeiro e apoiadora ativa da luta pela terra, no sul do estado de Rondônia, vem recebendo ameaças de morte por telefone. Nas mensagens enviadas pelo whatsapp, os criminosos afirmam que o dia e hora estão contados e que será alvo em Chupinguaia, além de a enviarem uma imagem de um revólver.

As denúncias apontam se tratar de policiais, pois esses utilizam este modus operandi frequentemente. Em um destes casos, a ameaça provinha de um número cujo perfil constava a autodenominação “Cabo Emerson”.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro