Preço das passagens de ônibus poderá aumentar 50% em 2022

O preço médio da tarifa de ônibus no Brasil deverá crescer 50% em todo o país a partir de janeiro de 2022. Foi o que informou a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). A estimativa feita pela associação aponta um aumento médio de R$ 2 na tarifa do transporte público.

A principal justificativa dada pelas empresas para o aumento é a alta no preço dos combustíveis, principalmente do óleo diesel que está custando nos postos em média R$ 5 por litro. A possibilidade de greve é outro fator apresentado pelas empresas, de maneira absurda, como motivo do aumento das tarifas. As empresas pretendem reajustar a tarifa já em janeiro de 2022.

Na imensa maioria dos municípios brasileiros é a própria prefeitura quem subsidia o setor. Dessa forma, é como se o trabalhador pagasse duas vezes pelo bilhete, uma ao passar a roleta e outra através dos impostos. Assim, as empresas praticamente não têm prejuízo algum.

A isenção fiscal das empresas de transportes, que atingem lucros bilionários com as tarifas pagas pela população, é uma das maneiras criminosas que os políticos corruptos encontram de articular seus interesses com os interesses dos empresários das linhas de ônibus.

A outra justificativa apresentada pelos empresários no que toca a possibilidade de greve dos rodoviários, em que alegam que não podem aumentar os salários por conta dos prejuízos financeiros, não aborda questões como dupla função, hora extra não remunerada, veículos velhos e defeituosos, etc. Esses são também motivos pelos quais os trabalhadores lutam, além do justo e merecido reajuste salarial em meio à uma inflação que ultrapassa 10%.

Tais justificativas apresentadas pelos monopólios dos transportes para o gigantesco aumento nos preços das tarifas, provam-se falsas e escondem o fato de que os donos desses conglomerados buscam na verdade aumentar seus próprios lucros às custas do suado dinheiro do povo.

Serviço sucateado e de má qualidade

As altas tarifas e impostos pagos pela população nas passagens de ônibus não têm retorno. As frotas dos ônibus são insuficientes, não atendem as demandas dos trabalhadores e boa parte dos transportes oferecidos estão em péssimas condições de uso.

Horários irregulares, falta de ar-condicionado, transportes lotados e mal cuidados são apenas alguns dos problemas enfrentados pela população de uma lista que não parece ter fim. Nessas condições, boa parte da população trabalhadora se vê obrigada a sair de casa ainda de madrugada para conseguir chegar no horário em seus trabalhos. Trocam-se os nomes dos governantes, surgem novas falsas promessas, mas a situação do transporte público permanece a mesma.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin