RJ: Profissionais da saúde e usuários protestam em frente à clínica da família de São Cristóvão

Profissionais da saúde e usuários fizeram um protesto no dia 11 de fevereiro em frente a clínica da família Ernesto Zeferino Tibau Jr, em São Cristóvão, Rio de Janeiro. Os manifestantes exigiam melhores condições de trabalho, reajuste e equiparação salarial, melhor infraestrutura e um sistema de saúde público, gratuito e de qualidade. Participaram do ato o Movimento Classista em Defesa da Saúde do Povo (Moclaspo) e o Movimento dos Usuários da Saúde de São Cristóvão (Musc).

No protesto, cerca de uma dezena de manifestantes exibiram faixas e cartazes em defesa da saúde pública e exigiram que as suas demandas fossem atendidas pela prefeitura do Rio. Os trabalhadores questionaram o fato de que os profissionais que atuam nos bairros de São Cristóvão, Benfica, Caju, Estácio e Mangueira recebem menos do que seus colegas que trabalham em outros bairros.

Em uma das falas, um integrante do Moclaspo, afirmou que é preciso a participação de toda comunidade na luta em defesa da saúde pública: “Viemos enfrentar a chuva e o descaso do governo, vamos trazer o bairro inteiro, tragam seus vizinhos, vamos fazer o pessoal do morro descer, Tuiuti, Barreira do Vasco e Mangueira. Não vamos permitir que esses bairros sejam tratados como de "segunda categoria”.

Com a ajuda de um megafone, os trabalhadores exigiram o fim das filas de espera no Sistema Único de Saúde (SUS), a reforma e ampliação das recepções das unidades, maior distribuição de remédios pelas farmácias das clínicas e demais melhorias.

Os profissionais da saúde afirmam que durante todos esses anos de pandemia atuaram na linha de frente de combate ao coronavírus, fazendo horas extras, trabalhando feriados e finais de semanas, etc., porém mesmo assim não estão sendo devidamente remunerados pelo governo. Os trabalhadores denunciam ainda que o prefeito, Eduardo Paes, faz da saúde um comércio e busca se utilizar dela para receber votos. Uma das faixas dizia: Prefeito, a saúde das famílias de São Cristóvão não pode valer menos!

Usuários do SUS se integram à luta

Um dos usuários da clínica da família destacou em entrevista ao AND que estava no ato mesmo se recuperando de uma longa internação hospitalar, pois considera que somente com a luta dos próprios moradores serão capazes de alcançar uma saúde de melhor qualidade. Diagnosticado com uma doença cardiovascular grave, há anos acompanhada pelos médicos e enfermeiros da clínica Ernesto Zeferino, teria o seu tratamento prejudicado caso os mesmos fossem induzidos a sair da clínica.

— Eu sou dependente da clínica da família, eu estou na rua com febre e com o pé inchado e estou na rua lutando pela minha saúde. É importante demais lutarmos juntos pela saúde. — destacou o usuário.

Durante o protesto, os manifestantes gritaram palavras de ordem como: A nossa luta é todo dia, porque saúde não é mercadoria! O SUS é meu, é seu também, vem pra rua vem!

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin