PE: Moradores protestam após militares do Bope matarem criança de seis anos

Nos dias 30 e 31 de março, manifestantes montaram barricadas e incendiaram ônibus para protestar contra o assassinato de uma menina de seis anos de idade. Heloísa Gabriela foi assassinada por militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar na comunidade de Salinas, distrito da região turística conhecida como Porto de Galinhas, no município de Ipojuca, em Pernambuco.

Reprodução

Manifestantes incendeiam ônibus durante rebelião popular

Heloísa levou um tiro no peito quando brincava no terraço da casa de sua avó. A menina chegou a ser socorrida, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu. Ela foi baleada por volta de 17h30 quando os militares adentraram a favela atirando para todos os lados atrás de um "suspeito".

Logo após o assassinato, centenas de moradores revoltados bloquearam com galhos de árvores e pneus incendiados a rodovia, PE-09, que dá acesso às praias da região turística. Eles exigiam justiça e denunciaram os militares pela morte da menina. Os trabalhadores também entoaram palavras de ordem contra a polícia, afirmando: O Bope é assassino!

Na noite seguinte, após o enterro de Heloísa, a região foi tomada por uma grande rebelião que contou com a participação de milhares de massas. Os moradores, revoltados com o brutal assassinato e com a constante violência aplicada pelas forças de repressão, sacudiram o balneário turístico.

Um grande contingente da Polícia Militar (PM) com mais de 20 viaturas e 250 militares foi enviado à localidade para reprimir os manifestantes, porém os moradores se recusaram a acabar com o ato. Ao longo da noite, ruas e avenidas nos acessos à localidade foram bloqueadas com barricadas em chamas para impedir que o efetivo policial chegasse à cidade.

Os manifestantes tomaram o ônibus de um dos hotéis de luxo da região, atearam fogo no veículo e o colocaram na PE-09, sentido Recife, próximo ao posto do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv). Os policiais atacaram os moradores disparando tiros de bala de borracha e bombas de efeito moral. Devido à rebelião, ônibus turísticos que saem do Recife para Porto de Galinhas tiveram que retornar à capital.

O estado de Pernambuco é governado pelo reacionário Paulo Câmara (PSB). O partido também está na prefeitura de Recife, representado por João Henrique Campos. Sendo assim, os moradores das favelas pernambucanas estão sendo mortos e aterrorizados a mando de verdugos oportunistas auto-intitulados de “esquerda” e de “defensores da democracia”, mas que no cotidiano da cidade sujam suas mãos com sangue do povo para defender e manter a velha ordem de exploração.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin