Índia: EGPL realiza novas ações contra o latifúndio e monopólios

No mês de maio, o Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL) dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Maoista) realizou uma série de ações contra o latifúndio, contra os monopólios imperialistas e contra o velho Estado reacionário indiano.

Reprodução

Faixa deixada pelos guerrilheiros após ação contra monopólio de construção

Na noite de 26 de maio, vários veículos de construção de estradas pertencentes a um monopólio foram incendiados perto da vila de Tal Pipili, no distrito policial de Bhawanipatna Sadar, distrito de Kalahandi, em Odisha. De acordo com os monopólios de imprensa, cerca de 20 a 40 guerrilheiros do EGPL invadiram o canteiro de obras e incendiaram entre três a seis veículos. Uma fracassada ação de cerco foi então iniciada pelas forças policiais, que não deixou baixas entre os maoistas.

Na Índia, os monopólios de construção da infraestrutura (empreiteiras) operam no campo promovendo a expulsão e o roubo das terras dos camponeses e povos tribais. Após a expulsão, utilizam a mão de obra barata e exploram a força de trabalho do campesinato expulso.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Os maoistas deixaram cartazes e faixas denunciando que um de seus quadros, que teria se rendido no início desse mês, foi preso com a ajuda do empreiteiro. De acordo com os maoistas, o caso deve ser tratado como uma prisão e o julgamento deve ser feito em um tribunal adequado. Ele não deve receber quaisquer facilidades de acordo com a política de rendição do governo.

No dia 22/05, um destacamento de 8 a 20 combatentes maoistas incendiou cerca de 350 sacos de folhas de tendu (chá) em Dadekasa, o centro de coleta de folhas de tendu de Bilal Kasa, no distrito de Balaghat, em Madhya Pradesh. O centro de coleta pertencia ao latifúndio. Panfletos foram deixados no local denunciando os comerciantes de chá e a exploração dos povos tribais que coletam as folhas de chá. "Os empresários não pagam aos catadores de folhas de tendu um salário de 600 rúpias [cerca de 37 reais, o prometido aos camponeses] por 100 maços [...]. Essa ação é o resultado disso", denunciaram os maoistas em uma carta pública.

 

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin