Opiniões - 30

A- A A+

Imperialismo sustentado

Olá pessoal de A Nova Democracia

O Deserto Verde está tomando conta do município de São Luís do Paraitinga, ocupando terras excelentes para a prática da agricultura como também vem expulsando pequenos agricultores (tradicionais), conhecidos por "caipiras", de suas propriedades. A saída forçada desses pequenos agricultores, significa a morte de atitudes e de práticas culturais de mais de dois séculos.

É o fim do trabalho de mutirão onde canta-se o brão. O brão é cantado sempre em dupla, ele é também um enigma a ser decifrado. Geralmente no início de um mutirão, uma dupla coloca uma "linha" e as outras duplas também cantam sempre de forma nasalada, procurando decifrar o enigma do ponto do brão.

A cultura do povo da zona rural de São Luís do Paraitinga, profundamente estudado pelo antropólogo Carlos Rodrigues Brandão, vem se esvaindo e a monocultura do eucalipto praticado pelas empresas Votorantim Celulose e Papel (VCP), Companhia Suzano de Papel e Celulose e Nobrecel, colaboram significativamente para a falência dessa cultura. Isso implica na desagregação da pequena propriedade familiar, que culmina com o fim do grupo de vizinhança. Inconformados com avanço da eucaliptura no município, os moradores rurais, (representantes) elaboraram um Projeto de Lei Iniciativa Popular no Município. A coleta de assinaturas já ultrapassou o número exigido por Lei e em breve o projeto será votado na Câmara.

O eucalipto não detona apenas com os Tupinikins e Guaranis do Espírito Santo, mas com certeza também com os "caipiras" de São Luís do Paraitinga, que é considerado por muitos estudiosos do meio rural como o "último reduto da cultura caipira", em São Paulo.

São Luís do Paraitinga, até o presente momento, é o único município de São Paulo a questionar o plantio de eucalipto em seu território. Seria muito bom que mais pessoas soubessem a situação dramática que os pequenos agricultores de São Luís do Paraitinga, estão vivendo.

É bom lembrar que os meios de comunicação da região (TV Band Vale e o Jornal Vale Paraíbano, entre outros) não noticiam os fatos desagradáveis que vem ocorrendo no município.

Caso haja interesse no que foi superficialmente relatado e para maiores informações ligar para (12) 3671-1265 e 3671-11711 (recado)

Um grande abraço.

Marcelo Toledo


Continua mesmo

Olá companheiros do AND ... como estão? Quero parabenizar a todos por mais um ano do nosso AND. Eu sempre leio pela internet, porque aqui não vende. Um abraço a todos e a luta continua..

Marcelo Amaro Lins
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Araruama, RJ


O povo é a luz

Eu gostaria de parabenizar todos os envolvidos na parte de elaboração do jornal. Vocês representam a luz na escuridão. Vocês são pessoas que despertam as outras pessoas do hipnotismo em que boa parte da sociedade brasileira vive. Eu sempre ressalvo que a sociedade brasileira tem que acordar para a realidade e o futuro. Vocês identificam os traidores de nossa nação.Obrigado e abraços,

Ronei Martins Faria
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Barra Mansa, RJ


Consórcio eleitoreiro

Acabo de saber do consórcio eleitoreiro PSTU, P-SOL, PCB.

Trotskystas e revisionistas devem mesmo permanecer juntos para o bem do oportunismo.

AND, na edição 24, já denunciava o chamado do PSTU para uma frente eleitoral classista, de esquerda e socialista, como se fosse possível ser eleitoreira e socialista...

Nunca é demais lembrar: o processo de formação do P-SOL passou pela tentativa de aparelhamento deste pelo PSTU, que pretendia lançar o Zé Maria como candidato novamente. Frustrada esta cartada, assistimos o P-SOL se aproximar do PDT e agora assumir novamente a "aliança tática" com o PSTU e o PCB.

Depois da Lei "cláusula de barreira", é até de se esperar que as diferenças programáticas sejam mesmo solucionadas, porque eles não têm programas.

Renato Dias Montenegro
Londrina — Paraná


Nosso povo, nosso jornal

Atualmente o cenário brasileiro nos mostra em extrema nitidez o avanço e o importante papel que vem desempenhando a imprensa democrática com relação a conscientização das grandes camadas populares, bem como a inserção destas neste importante meio de comunicação.

Ao mostrar-se aliada à luta contra o sistema presente e colocar-se à frente dos problemas enfrentados por cidadãos comuns, expondo e indagando a injusta realidade, esta mesma imprensa assume um então compromisso esquecido pelos jornais reacionários a serviço do Estado burguês, que tornam a informação aliás, muitas vezes maquiadas e até falsas, um instrumento de manipulação e opressão ideológica: o seu papel social, cultural e crítico-real

Os aparelhos necessários para a implantação da alienação — destacando-se a comunicação — assumem assim, a função de integrar o povo na total dominação capitalista, transplantando ideais, costumes e valores em benefício dos interesses da classe dominante. E é justamente em meio a esses sistemas de manobras burguesas em que a oposição se faz necessária, funcionando como o porta-voz da população, reformulando digamos, o pensamento, revolucionando e externando os fatos ocultados, dirigindo um embate direto contra os que mascaram a realidade.

Foi dessa maneira ao longo da história — em episódios como, por exemplo, a abolição da escravatura, onde os jornais da época pregavam o fim do regime, ou o periódo regencial, fase de grandes revoltas, em que a imprensa atacava o governo que segregava a sociedade na miséria. Assim eram "O Povo", "Os Cabanos", "Voz da Liberdade", dentre outros — e continua a ser, porém mais intensamente, na contemporaneidade.

Deste modo, a imprensa democrática e popular, torna-se uma importante arma de saber e poder, seja para estudantes, operários, trabalhadores rurais e cidadãos em geral. Ela configura-se em uma representação e voz da classe oprimida e revolucionária que agora se levanta para destruir a era do capital em favor de uma sociedade justa e igualitária.

Aline Brasiliense
Belém, Pará
22 de maio de 2006


Pode mandar

É com grande alegria que encontrei um exemplar de seu jornal aqui em Uberlândia. Realmente é o jornal mais patriótico e democrático que já tive notícia. Meus parabéns! Continuem assim e podem contar com minha ajuda. Pensei em como ajudar vocês nesta grande empreitada, porém trabalho de 08:00 às 21:00. Acredito que posso informar vocês sobre os principais acontecimentos na região do Triângulo. Abraços.

Lauro Kaplan
Uberlândia, MG
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Existe sim

Caros senhores,

Acabo de ler a reportagem do Juiz Livingsthon e gostaria de saber se existe alguma forma de nós, advogados, em algum manifesto ou similar, expressarmos nossa indignação com a represália ao funcionário público que, ao contrário da maioria, fez seu trabalho, sendo punido por isso.

Atenciosamente,

Gustavo Botelho


Questão indígena

Simplesmente o melhor jornal de todo o território brasileiro. Espero ver sempre publicadas reportagens sobre povos indigenas. É uma indecência, e um sucídio, sucatearem nossa própria cultura!! A história que conhecemos é feita de "encomenda" pelos mesmos latifundiários que estão no poder. Um abraço.

Rosana Garcia
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Alicante, Valencia, Espanha.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja